Exclusivo: funcionários do Giassi denunciam descumprimento de diretrizes sanitárias no combate à Covid-19

infosul
Foto: reprodução/Giassi Supermercados

Ao menos 10 pessoas procuraram a reportagem do Portal Infosul na última segunda-feira, 27, para denunciar supostas ilegalidades cometidas pelas lojas da rede de supermercados Giassi, em Tubarão, no combate ao novo coronavírus. A cidade possui duas unidades da rede, uma no bairro Vila Moema e outra em Oficinas.

Segundo os denunciantes, divididos entre colaboradores e familiares, as duas lojas não têm seguido os protocolos da Organização Mundial da Saúde (OMS) no que diz respeito ao afastamento imediato dos funcionários que tiveram contato direto com uma pessoa já positivada para Covid-19, ou mesmo as que apresentam sintomas característicos da doença, mas que ainda não realizaram o exame que comprove a infecção.

"Por mais que a gente tenha o atestado, precisamos levar até o médico da empresa pra ele validar. Daí quando é porque o funcionário teve contato com uma pessoa doente, eles dizem pra gente levar uma prova. Se não fizer assim, o médico da empresa não carimba e aí a gente até pode ficar em casa, mas os dias do atestado são contados pro banco de horas”, desabafa uma funcionária.

Em tempo, é importante salientar que uma empresa só pode recusar um atestado médico quando conseguir comprovar, por meio de uma junta médica, que o empregado está apto ao trabalho, conforme estabelece o Conselho Federal de Medicina (CFM). Caso isso não ocorra, o atestado garante ao trabalhador a remuneração devida, sem prejuízos.

“Mesmo eu sendo suspeito de ter sido contaminado, eu tive que levar o meu atestado lá [no médico da empresa], sendo que eu deveria ficar em isolamento; daí eu cheguei lá e ele [o médico] ainda riu da minha cara dizendo que, agora, todo mundo ‘tá’ pegando atestado. Ele ainda estava sem máscara. Um médico sem máscara, pode?”, questionou outro denunciante.

Eles também se queixam da quantidade de clientes no interior da loja em alguns dias e horários. “Parece época de natal, muita gente. Nas filas dos caixas, por exemplo, ninguém respeita a marcação no chão e também não tem nenhum fiscal para orientar. Quando dá sexta-feira, pode ir lá ver, ali pelas seis horas da tarde, é ‘socado’”, diz outro colaborador.

Entretanto, o decreto vigente no município (1.150/2020) estabelece diretrizes para o funcionamento de mercados e supermercados. Entre elas, o horário de atendimento entre 8 e 22 horas, a limitação na capacidade total de atendimento reduzida a 40%, e a proibição de mais de uma pessoa da mesma família no interior da loja. Além disso, é de responsabilidade do estabelecimento manter o distanciamento de 1,5 metro entre os clientes, e fiscalizar o uso de máscara e álcool 70%.

Giassi Supermercados

Em resposta aos questionamentos do Infosul, a assessoria de imprensa do Giassi Supermercados, enviou uma nota afirmando que a empresa tem se empenhado em realizar todos os cuidados necessários para evitar a propagação da Covid-19, e “preza pela saúde e acompanha constantemente, com o apoio das equipes de Medicina do Trabalho das lojas, a situação de todos que atuam em suas unidades”. A nota também diz que todos os procedimentos “serão reforçados nas unidades de Tubarão a fim de garantir que continuem sendo cumpridos à risca”.

Confira a nota na íntegra:

A Rede Giassi Supermercados tem se empenhado em realizar todos os cuidados necessários para evitar a propagação do Covid-19 em suas lojas. Carrinhos e cestinhas tiveram a higienização intensificada. O acesso às lojas é feito somente após a higienização das mãos com álcool 70 e o produto é disponibilizado em pedestais instalados na entrada de todas as unidades. É obrigatório o uso de máscara por colaboradores durante todo o expediente. Aos clientes, também só é permitida a entrada com utilização de máscara.

Marcas para sinalizar o distanciamento de 1,5m em filas foram aplicadas no chão das lojas. Placas de acrílico foram instaladas nos caixas para proteger clientes e colaboradores. A capacidade de público dentro das lojas é limitada de acordo com as determinações de decretos municipais. A rádio interna reforça os cuidados constantemente.

Quando há qualquer suspeita de contato do colaborador com o vírus, antes mesmo de realização de teste para comprovar ou descartar a infecção, o profissional já é afastado de suas funções e todos os protocolos dos órgãos de saúde são seguidos para zelar pela saúde dos demais. O Giassi preza pela saúde e acompanha constantemente, com o apoio das equipes de Medicina do Trabalho das lojas, a situação de todos que atuam em suas unidades. Estes procedimentos serão reforçados nas unidades de Tubarão a fim de garantir que continuem sendo cumpridos à risca.

Macroseg

O médico citado pelos funcionários trata-se do Dr. Enio Sousa Júnior, responsável pela Macroseg, Clínica de Medicina e Segurança no Trabalho, contratada pela rede Giassi, em Tubarão, para cuidar dos assuntos ligados à saúde dos funcionários.

Nossa reportagem procurou o consultório para esclarecer as acusações, entretanto, a atendente disse que o doutor não estava na clínica e, só ele poderia responder aos questionamentos. Ela afirmou que iria tentar contato com o profissional e tão logo retornaria o telefonema (28/07), mas até a manhã desta quarta-feira, 29, o Infosul não recebeu qualquer retorno.

Tão logo a Macroseg queira se pronunciar sobre as afirmações denunciadas, a publicação será atualizada.

Observação: Os nomes e funções dos denunciantes foram preservados para que eles não sofram possíveis retaliações dentro ou fora da empresa. Ao Portal, além dos relatos, os colaboradores também apresentaram áudios que fundamentam o teor da denúncia. Esses, respeitando a solicitação dos colaboradores, não serão publicados.
× Fale com o Infosul