Política X Politicagem: pré-candidatos precisam apresentar propostas e não baixarias

Lucas Vieira
Lucas Vieira
Foto: reprodução

Irresponsabilidade

Nem tudo o que reluz é ouro. Na semana passada, esse colunista fez críticas aos pré-candidatos que estão fazendo da pandemia um palanque político. Há quem defenda. Agora, fazer discurso amparado na dor de quem está passando pelas dificuldades e desafios da doença, ou vida particular do indivíduo, é demais. É sem caráter. Esse tipo de populismo barato precisa acabar. Caros, mostrem propostas para a população tubaronense. Somente propostas viáveis são capazes de derrubar um adversário, seja qual for. Discurso de baixo nível aquece somente as redes sociais.

Quebra de decoro!

Falando em vida pessoal, mais uma vez o vereador Douglas Antunes (PSD) está enfrentando um pedido de cassação do seu mandato na Câmara Municipal. A solicitação foi protocolada por ex-alunos do Grupo Educacional DMA, que responsabilizam o edil por emissão de diplomas falsos enquanto foi diretor da instituição. O pedido tem o mesmo teor da primeira tentativa, que foi rejeitada por unanimidade, após os parlamentares entenderem que esse tipo de julgamento não é de competência política, mas sim judicial. Douglas afirma que é inocente. Ele, inclusive, publicou documentos que sugerem tal afirmação. Agora, diz estar à disposição da justiça. O pedido será analisado pela Comissão de Justiça da casa legislativa.

Não cabe à coluna julgar quem está certo ou errado, pois a justiça deve ser feita. No entanto, cabe ressaltar que o parlamentar diz ter sido inocentado de todas as acusações e, ainda, não responde qualquer processo judicial relacionado ao tema. É sabido também que os diplomas foram terceirizados e, portanto, Douglas pode sim ter sido tão vítima quanto os alunos. Lembro que essa não é uma afirmação, mas sim uma hipótese. Também causa estranheza – e isso não quer dizer que estão errados – os ex-alunos se movimentarem tão fortemente agora, próximo das eleições. Há quem aposte que tem gente querendo se beneficiar politicamente com tudo isso.

Entretanto, certo ou errado, envolvendo ou não possíveis candidatos, o impasse precisa ser resolvido o quanto antes. Acontece que, possivelmente, o novo pedido deve ter o mesmo rumo do primeiro: a rejeição. Mesmo que relutem, não há quebra de decoro no caso. Política e vida pessoal são coisas diferentes, ainda que a pessoa seja a mesma.

O corona esvaziou a Câmara Municipal

A Câmara de Vereadores de Tubarão realizou uma testagem em massa para detecção do novo coronavírus entre segunda e terça-feira. Para a surpresa de todos – ou não – dezenas de servidores tiveram resultado positivo para a doença, incluindo seis vereadores: Dalton Marcon (MDB), José Luiz Tancredo (MDB), Gilmar Negro Machado (Progressista), Moisés Nunes (Progressista), Luiz Gonzaga dos Reis (Progressista) e Eraldo Pereira (Cidadania). Felizmente, todos estão bem e não apresentaram qualquer sintoma.

A orientação é que todos fiquem em casa, em isolamento. As sessões vão continuar acontecendo normalmente pela internet, com tem sido realizada. Já o edifício da câmara será sanitizado e, não terá atendimento ao público nos próximos dias. Todos estão em home office.

Seria tão bom se tivéssemos deputados (de verdade)

Perante o Governo Estadual, o sentimento do tubaronense é o mesmo de um filho sem pai e mãe. Dizem que temos dois deputados na Amurel, mas até agora, nada benéfico foi feito ou trazido para Tubarão. Ninguém sabe onde estão, por onde andam ou o que fazem. Abrimos o espaço, inclusive, para que apresentem obras e/ou recursos conquistados para nossa cidade. Não vale passeio. #FiqueEmCasa

Articulações políticas

Para quem pensa que as articulações políticas pararam, engana-se! Tem paquera tão avançada, que já se espera um noivado nos próximos dias. Já tem pré-candidato abrindo mão da cabeça de chapa, mesmo com algumas exigências... Ou melhor, condições. Só sei que muita gente vai ficar surpresa, inclusive filiados.

Impeachment

Um dos cinco processos de impeachment contra o governador Carlos Moisés foi aceito e, engloba também a vice Daniela Reinehr. Serão nove parlamentares incumbidos de produzir um relatório. Depois, os 40 deputados votarão pela abertura ou não do processo de impedimento. Se a peça for aceita, Moisés e Daniela serão afastados dos cargos preventivamente por 180 dias (seis meses). Obviamente, os dois poderão oferecer seus esclarecimentos e defesas no andar da carruagem. Será benéfico isso para o Estado?!

Dizem por ai...

Que no paço municipal já percebe-se a presença de filhos pródigos, uns vindos lá do sertão, será ...

Que tem um vereador com Covid-19 que passeia bastante pelas secretarias e, por isso, o município pode testar o efetivo desses lugares, será...

Que tem partido garantido cadeiras na câmara e muito fundo eleitoral, será...

Que o vice-prefeito chutou o balde em relação a posição de alguns prefeitos da Amurel, será...

Que a eleição de 2022 já está na mesa de negociações

Lucas Vieira
× Fale com o Infosul