Tubarão: candidato a vereador é gravado discursando em reunião com pessoas aglomeradas

infosul
Imagem: print de vídeo

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) elaborou um protocolo sanitário para ser seguido pelos candidatos para evitar a disseminação do novo coronavírus durante o período de campanha eleitoral, nesse ano de 2020.

Entre as medidas, o TSE determina que o número de pessoas presentes em reuniões presenciais seja calculado de acordo com a capacidade da sala, de modo a permitir o distanciamento mínimo de 1 metro entre os participantes. Além disso, o órgão também exige que o candidato fiscalize o uso de máscaras faciais.

No entanto, muitos encontros não têm respeitado as recomendações do TSE. A reportagem do Portal Infosul recebeu, nesta segunda-feira, dia 13, um vídeo que mostra o candidato a vereador pelo PSDB de Tubarão, Denis Matiola, em uma reunião com dezenas de pessoas aglomeradas, várias delas sem máscaras, descumprindo várias das recomendações citadas.

O vídeo foi gravado no último domingo, feriado de Nossa Senhora Aparecida. Ao fim do discurso, um seguidor do político diz “E, pessoal, vamos comer carne, né?! Vamos comer, beber, é isso aí”. Segundo a Lei Eleitoral, tal prática é considerada ilegal. O Artigo 41 da Lei nº 9.504 veda o candidato de “doar, oferecer, prometer, ou entregar, ao eleitor, com o fim de obter-lhe o voto, bem ou vantagem pessoal de qualquer natureza [...]”.

Procurado, Denis Matiola disse que estava trabalhando no domingo, quando foi convidado a comparecer no local. “Aquilo lá [o encontro] não foi nem uma reunião, porque eu estava trabalhando no domingo. Eu fui convidado para passar por lá. É um bar que eu já fui outras vezes e, na verdade tinha outro candidato, de outra sigla partidária quando eu cheguei lá. Era aberto para todo mundo”, relatou, sem responder se pagou ou não a alimentação oferecida.

Ao Infosul, o advogado do partido, Daniel Tonhon Franco afirmou que “Todas as reuniões que são organizadas pelos candidatos cumprem todos os critérios de segurança sanitária. Essa é a orientação do partido. O que pode acontecer é o candidato ser convidado para ir na casa de alguém e ser surpreendido com o número de pessoas.”, disse o profissional.

× Fale com o Infosul