“A condição em que os atletas se apresentaram foi muito boa”, afirma preparador físico sobre retorno do peixe

Foto: William Lampert | CA Tubarão

Após 44 testes realizados e nenhum resultado positivo, finalmente comissão técnica e jogadores do Atlético Tubarão retornaram suas atividades. Nesta quarta-feira, 8, os atletas realizaram treino em dois períodos. O confronto que vale permanência na séria A do Catarinense já é na semana que vem, terça-feira dia 14, às 15h. Efetivamente sobram 7 dias de treino para o elenco. Será que é possível em tão pouco tempo ganhar condicionamento? Conversei com o preparador físico Samir Terra Chedid que explica a situação do peixe. Confira abaixo a entrevista!

- Durante a paralisação eles eram orientados a realizar algum tipo de atividade física?
Durante esse período, que se estendeu por mais de 100 dias de paralização, foi passado uma cartilha com treinos diários, para serem feitos em casa ou algum local de fácil acesso. Fizemos também, semanalmente, vídeos conferências, onde eram esclarecidas algumas dúvidas e questionamentos. Além de atendimentos individualizados quando necessário.

- Como você classificaria o estado físico dos jogadores nesse retorno? É realizado algum tipo de teste individual para avaliar o condicionamento físico?
Pelo período curto que teremos até o jogo optamos por fazer um relatório encaminhado para cada um antes da chegada (anamnese) e conversa individualizada com a Comissão Técnica. Como de hábito eles são avaliados diariamente. Referente ao estado físico dos treinos, que a gente chama de Percepção Subjetiva de Esforço/Recuperação (PSE/PSR) pré e pós treino, além da qualidade de sono, cor de urina, perante uma escala de BORG.

A condição em que os atletas se apresentaram foi muito boa, além do esperado. Diante conversa e relatório, eles conseguiram manter a rotina de treinos que foi passada nesse período em casa.

- Qual estratégia para preparar o elenco em 8 dias para um jogo tão importante?
Nossa estratégia é conseguir colocar eles o mais próximo possível de uma condição física e técnica, onde não venha ocasionar algum tipo de lesão.

- Em relação as lesões, quais são os riscos de acontecerem?
O risco de lesão é altíssimo. Esse período longo de paralização nunca tinha ocorrido. Ainda mais falando de atletas de futebol, onde o esforço físico é intenso na grande parte do jogo, ocorrendo deslocamento com trocas de direções, sprints curtos e longos o tempo todo.

- O que você diria ao torcedor que desacredita da permanência na série A devido ao pouco tempo de preparo que o peixe tem?
O que eu posso dizer ao torcedor é que independente do período de preparação não irá faltar empenho e dedicação de todos. A comissão técnica e os jogadores estão com foco total nessa missão de manter o Tubarão na primeira divisão.