Alunos realizam protesto em frente à Unisul

infosul
Portal Infosul

Dezenas de alunos se reuniram em frente ao Shopping Unisul na noite desta terça-feira, 12, em ato de protesto. O movimento organizado de forma independente pelas representações estudantis teve como objetivo exigir respostas da universidade acerca de diversos pleitos. Entre eles, um percentual de reajuste das mensalidades justo; atualização do portal da transparência da instituição; contato mais próximo entre direção e acadêmicos e pagamento das parcelas atrasadas dos salários dos professores.

O ato ocorreu de maneira pacífica e a Guarda Municipal e Polícia Militar estiveram presentes durante todo o tempo auxiliando na segurança dos estudantes.

Em determinado momento, os manifestantes foram até o Bloco A da universidade, onde fica o prédio da reitoria, e fizeram 1 minuto de silêncio em alusão ao slogan "O luto virou luta", adotado pelos estudantes em perfis de redes sociais nos últimos dias.

Um documento oficial com todos os pedidos pleitados será entregue à administração da universidade ainda nesta semana. O documento seria entregue em mãos para um representante da instituição, mas durante o ato não foi identificado nenhum colaborador da Unisul.

Salário dos professores:

De acordo com uma aluna que prefere não se identificar, "o parcelamento dos salários atrasados dos professores afetou diretamente o rendimento deles em sala de aula; eles encerram [as aulas] mais cedo porque 'não estão recebendo'", declara.

Em outubro, A Unisul e os sindicatos da educação assinaram um termo de compromisso em que a Unisul se compromete a promover a quitação dos passivos trabalhistas – avaliados em R$ 60 milhões – decorrentes das ações movidas pelas entidades sindicais. A quitação tem prazo de 30 dias após a conclusão da negociação de transferência de administração para um novo grupo educacional.

Reajuste das mensalidades:

Na última reunião realizada entre a reitoria e a Comissão de Reajuste, a universidade propôs um ajuste de 5,66%. De acordo com eles, em agosto deste ano, o reitor da entidade Mauri Heerdt teria reunido os representantes dos CA’s, Atléticas e Diretório Central dos Estudantes para esclarecer a situação da universidade e, nessa ocasião, Heerdt teria afirmado que não haveria reajuste nas mensalidades no próximo semestre (2020/1).

Em resposta aos estudantes a Unisul disse que "não se pode interpretar o eventual reajuste das mensalidades, ainda não definidos, sem enxergar as necessidades de sobrevivência de uma instituição que responde por grande número de atendimentos médicos, psicológicos, dentários, jurídicos, de assistência social, etc. à população e pela concessão de bolsas às pessoas carentes de recursos".

Portal da Transparência: 

Durante o ato, os alunos afirmaram que o Portal da Transparência da universidade não é atualizado desde 2017 (ano de lançamento) e que, assim, não é possível saber os valores de despesas e investimentos que a instituição executa.

Em entrevista ao Portal Infosul, o reitor Mauri Heerdt salientou que a Unisul é uma Instituição criada pelo poder público, mas de gestão privada, conforme entendimento exarado pelo Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina, Receita Federal e por decisões do Tribunal de Justiça de Santa Catarina e do Superior Tribunal de Justiça e, por isso, podem optar por não divulgar publicamente eventuais despesas.

Negociações e proximidade com alunos

A Universidade segue em busca de uma parceria com um novo grupo educacional. Embora não fale sobre os detalhes das negociações, especula-se que o acordo seja anunciado até o final do mês corrente. E é justamente isso que um outro aluno - que também prefere não se identificar - pede: transparência. Segundo ele, os universitários querem detalhes do acordo antes que inicie o período de matrículas; como justificativa, ele diz defende que precisam ter o pode de escolha entre continuar ou não na instituição.

Além disso, os estudantes pedem por uma comunicação mais próxima entre reitoria/administração e centros estudantis.

× Fale com o Infosul