Ânima assume administração integral da Unisul e colaboradores têm contratos rescindidos

Foto: Unisul Hoje

A Ânima, considerada uma das mais relevantes organizações educacionais do Brasil, ao que parece, já administra – sozinha – a Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL. Segundo informações obtidas pela reportagem do Portal Infosul, todos os colaboradores da instituição tiveram seus contratos com a Fundação Unisul rescindidos no último dia 31 de dezembro.

O processo de rescisão em massa já era previsto. Em novembro de 2019 o reitor da Unisul, Mauri Heerdt, anunciou, em coletiva à imprensa, que a Fundação Unisul acabara de firmar um acordo milionário com a Ânima Educação para a Transferência de Mantença da instituição ao grupo paulista. Desde então, muitos dos colaboradores foram dispensados – seja por decisão da Fundação ou de forma incentivada. Agora, com toda a burocracia vencida e transferência administrativa efetivada, os colaboradores passaram a ter registro trabalhista assinado pela Ânima e não mais pela Fundação Unisul.

Nenhum dos trabalhadores recebeu valores rescisórios, visto que se tratou apenas de uma alteração no registro e não necessariamente de uma demissão. O procedimento é legal e previsto na lei trabalhista.

A negociação, com valor especulado em mais de R$ 300 milhões, teria salvo a Unisul da falência. "Nós poderíamos ter a liquidação da Unisul. Em todos os pontos de vista, a solução que tomamos foi para salvar a universidade. Nós teríamos muitos problemas para atravessar o ano 2019/2020. Até o dia 20 de novembro, por exemplo, tínhamos o compromisso de liquidar ações trabalhistas. Os impostos não estavam em dia, poderíamos perder bolsas de estudos", ressaltou o reitor da universidade, Mauri Heerdt, à época.

Benefícios serão perdidos?

Enquanto colaboradores da Fundação Unisul, todos tinham benefícios. Entre eles, Plano de Saúde Unimed, bolsas de 75% no Colégio Dehon e/ou nos cursos de graduação, ou ainda 50% nos cursos de mestrado e/ou doutorado.

É importante salientar que o Colégio Dehon e Unisul TV permaneceram sob custódia da Fundação Unisul e, portanto, o Grupo Ânima não tem qualquer influência sobre essas organizações.

Desta forma, caso o grupo paulista não autorize, os colaboradores da Fundação Unisul (Colégio Dehon e Unisul TV) poderão não ter mais o benefício de bolsas na Unisul e, da mesma forma, os funcionários da Unisul/Ânima podem não ter mais o benefício de bolsas no Colégio Dehon.

Em resposta à reportagem do Infosul, a assessoria de imprensa da Unisul afirmou que: “Como se trata de uma sucessão trabalhista, serão mantidos os benefícios, obedecendo a todos os trâmites previstos em lei. A Unisul ressalta que segue investindo na melhoria de todos os seus processos com foco integral em seus funcionários”.

Mesmo não sendo confirmado, o Portal apurou que para as bolsas no Dehon, está sendo feito um termo de concessão mútua de bolsas entre Unisul e Fundação, de forma que também os colaboradores que ficarão vinculados a Fundação possam usufruir de bolsas na Unisul.