Após bater na trave com o Camboriú, Rodrigo Bandeira conquista acesso com o Hercílio Luz em SC

Caio Maximiano
Caio Maximiano
Foto: Patrícia Amorim | Assessoria HL Foto: Patrícia Amorim | Assessoria HL

Por Caio Maximiano

Um acesso não é importante somente para quem está dentro das quatro linhas. Quem está por fora, precisamente à beira do gramado, também têm seus méritos. Este é o caso do técnico Rodrigo Bandeira, comandante do Hercílio Luz, que conquistou o acesso à primeira divisão do Catarinense, neste domingo, ao vencer o Metropolitano.

Na coletiva de imprensa após a partida, o técnico destacou a felicidade em conquistar o acesso: "Estou muito feliz. Muito feliz porque a gente criou um ambiente extremamente positivo, bom de trabalhar. Tivemos alguns atritos internos de cobrança em relação aos atletas, desempenho, mas tudo isso foi para o crescimento e chegasse em nosso objetivo. O mérito é dos atletas, nós como comissão técnica e staff viemos depois".

Rodrigo Bandeira relembrou sua primeira passagem em Santa Catarina, em 2017, quando comandou o Camboriú. Na ocasião, ele perdeu o acesso para o próprio Hercílio Luz: "Fico feliz porque é a segunda vez que eu volto à Santa Catarina. A outra vez eu perdi um acesso contra o Hercílio e dessa vez subi com o Hercílio. Tinha alguma coisa escrita. Eu planejava durante o ano essa oportunidade de voltar a trabalhar em Santa Catarina. Duas passagens aqui: uma semifinal e um acesso. A gente vai conquistando aos pouquinhos, sem achar que é melhor que ninguém. Fico extremamente feliz, pessoalmente e profissionalmente".

O comandante do Hercílio Luz ressaltou que qualquer resultado poderia classificar a equipe à primeira divisão: "A gente tinha a vitória, que aconteceu. Um empate nos daria também a possibilidade de continuar com a melhor campanha e até perdendo, de repente por 1 a 0 a gente dependia de outros resultado pra não perder a vaga. Não foi fácil fazer esse jogo, encerrar a campanha desta forma. Encerramos com chave de ouro, com mais uma vitória dentro de casa. Começamos em casa ganhando e terminamos em casa ganhando".

O treinador hercilista também destacou e projetou a disputa da final da Série B do Catarinense, contra o Próspera, que acontece durante a semana: "Agora temos a final contra o Próspera, o primeiro jogo fora, o jogo da volta aqui em casa. Tentar selar com esse título. Tenho que agradecer e ficar feliz por tudo que aconteceu e esperar que dê tudo certo nesses dois próximos jogos para encerrar com chave de ouro".

Encerrando a coletiva, Rodrigo Bandeira não deu pistas sobre a sua permanência, mas deseja ficar: "Não falei com ninguém. A pessoa que eu mais tenho contato é o Daniel (Frasson). Nunca quis acelerar o processo. O resultado confirma e valoriza o trabalho. Não só o meu, mas de todas as pessoas envolvidas aqui. É sempre importante a gente conquistar alguma coisa e dar sequência no trabalho. Vamos ver o que vai acontecer. Estou extremamente feliz no clube, me senti muito bem na cidade. Agora é esperar acabar a competição e ver se o pessoal tem interesse na manutenção do trabalho. Eu tenho, sem dúvida nenhuma".

Rodrigo Bandeira orienta a equipe no jogo do acesso. Foto: Patrícia Amorim | Asssessoria HL
Caio Maximiano
× Fale com o Infosul