Avanço de água salgada no Rio Tubarão preocupa autoridades

Foto: divulgação/PMT

Um grupo técnico vai avaliar as alternativas legalmente possíveis e tecnicamente viáveis para amenizar o avanço da cunha salina no Rio Tubarão. O problema foi identificado no início da semana passada e, desde então, os parâmetros de qualidade da água e a influência da maré no rio estão sendo monitorados. O avanço dessa “cunha salina” ocorre a partir da redução da vazão de um rio; com isso, o equilíbrio de forças entre o rio e o oceano é afetado, permitindo o avanço da maré e a presença de água salgada ao longo do rio.

No último sábado, 02, representantes da Agência Reguladora, Tubarão Saneamento e o prefeito Joares Ponticelli, reuniram-se para discutir a questão, que, inclusive, já levou o município a decretar situação de emergência. “Estamos vendo esse fenômeno com preocupação, já que a salinização da água, mesmo que ainda não tenha interferido na sua potabilidade, tem provocado problemas em chuveiros e torneiras, que resultam em desligamentos”, analisou o prefeito Joares.

Uma alternativa levantada ainda na semana passada foi o prolongamento da barreira construída para a passagem de caminhões durante a construção da passarela em frente à Unisul. A proposta segue sendo analisada pelos órgãos ambientais. Entretanto, ainda não se sabe quais os impactos que essa alternativa poderá ter na própria passarela, visto que o projeto da estrutura não contava essa barreira.

O grupo técnico é formado por representantes da Prefeitura, Agência Reguladora, Concessionária, Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Tubarão e Complexo Lagunar, Conselho Municipal de Saneamento Básico, Defesa Civil e Funat.