#boxZero03: corrida e fortalecimento muscular

Foto: divulgação

Muitos corredores demoram a se render aos trabalhos de resistência muscular, mas depois que começam e percebem a melhora no desempenho não param mais. O fortalecimento dos membros inferiores ajuda os atletas a evitarem lesões e baixar ainda mais os tempos.

O fortalecimento muscular, paralelo ao trabalho de corrida, serve para dar proteção às articulações, músculos e tendões, minimizando o risco de lesões. Além disso, com um treinamento bem orientado, é possível observar rapidamente o ganho de força e potência muscular, fatores estes que acarretam a melhora significativa na performance do corredor.

A ausência de exercícios de fortalecimento deixa a musculatura mais frágil e incapaz de receber progressões de cargas de intensidade e volume nos treinos de corrida. A consequência disso é que os atletas fiquem estagnados ou percam rendimento, pois, quando tentam evoluir, sofrem algum tipo de lesão.

Quando o objetivo é a performance na corrida e a prevenção de lesões, todos os músculos devem ser fortalecidos, sobretudo os membros inferiores e core (musculatura das costas, abdome e quadris).

A musculação e o Treinamento Funcional são as formas mais práticas e eficientes para este fim. Contudo, para quem curte algo mais tranquilo, pode optar pelo pilates, tendo também ótimos resultados. O acompanhamento de bons profissionais de educação física é fundamental tanto na corrida quanto no fortalecimento, para a correção de técnicas e controle de cargas de treino, visando a evolução com a menor predisposição a lesões.

O ideal é que o treino de fortalecimento para corredores seja feito de duas a três vezes por semana, de preferência intercalando com os treinos de corrida. Nos casos em que se optar por treinar corrida e fortalecimento no mesmo dia, é indispensável um bom planejamento com planilhas de treino que respeitem uma lógica controlada, para que o treinamento de fortalecimento não atrapalhe a corrida e vice-versa.

Um estudo de Hespanhol Jr. et al., publicado em 2012 na Revista Brasileira de Fisioterapia, mostrou que as lesões mais comuns em corredores de rua, que correm provas de 5 a 10km, são: tendinopatias, estiramentos ou distensões musculares, entorses de tornozelos e joelhos, fascite plantar, dores nas costas, lesões dos meniscos, canelite e fraturas por estresse.

Texto: Ronan Oliveira Gonçalves
@boxzeroct