Câmara Municipal: em dia de visitas, vereadores abandonam sessão antes do término

Lucas Vieira
Lucas Vieira
Imagem: reprodução

Sessão Ordinária I

A última Sessão Ordinária da Câmara de Vereadores de Tubarão foi bastante curiosa. Convidado, Daisson Trevisol, diretor-presidente da Fundação Municipal de Saúde, respondeu todos os questionamentos dos pares sobre a situação do novo coronavírus no município. Os esclarecimentos, ricos em detalhes, tiveram início pouco depois das 18 horas e se estenderam até às 22 horas. Porém, a conduta dos vereadores após o encerramento da visita foi o que chamou atenção.

Para que se entenda, é importante frisar as etapas de uma sessão ordinária. Na segunda-feira, 13, como houve visitas, eles foram os primeiros a ter espaço na reunião. Em seguida, foi iniciada a apreciação da ordem do dia, que é quando os vereadores votam os projetos em pauta. Na sequência iniciou-se o pequeno expediente, momento usado pelos nobres para apresentação dos trabalhos. Por fim, o grande expediente, onde os eleitos se manifestam sobre os assuntos levantados.

Sessão Ordinária II

Pois bem, cansados, os vereadores Carlos Alexandre das Neves (Xandão), Dorli Fernandes (Licão), Evaldo de Campos (Socadinho), Gilmar Negro Machado (Cascão), Gilson Paes Vieira (Chumbinho), João Fernandes, Júlio Cesar Ângelo Rodrigues (Kuriskinho) e Luiz Gonzaga dos Reis (Zaga), simplesmente sumiram após o pequeno expediente. Estavam presentes os parlamentares Dalton Marcon, Douglas Antunes, Eraldo Pereira, Gelson Bento, Jairo Cascaes, José Luiz Tancredo, Matheus Madeira e Moisés Nunes. A sessão precisou ser suspensa por 15 minutos por falta de quórum.  Por fim, Chumbinho acabou ressurgindo das cinzas e a sessão pôde ser continuada. O vereador Alexandre dos Santos Moraes teve falta justificada.

Sessão Ordinária III

Vereadores, tenham vergonha em vossas faces. Nos respeitem. São apenas quatro sessões por mês; uma por semana. Repito, uma. É agindo dessa maneira que vocês argumentam respeitar e lutar pelo povo tubaronense? Pouco importa o horário que se inicia ou se encerra uma sessão, vocês foram eleitos para nos representar do início ao fim. Antigamente, em ano eleitoral vocês disfarçavam melhor.

Joares Ponticelli X Cristiano Ferreira

O médico cardiologista e pré-candidato a prefeito pelo MDB, Cristiano Ferreira, voltou com tudo nos ataques ao atual gestor municipal Joares Ponticelli. O especialista tem apontado – nas redes sociais – possíveis falhas de Joares na preparação e enfrentamento da pandemia de Covid-19. Até agora Ponticelli não revidou, mas é questão de tempo. Todos sabem que o experiente político não foge de um debate e, quando entra numa discussão... Ambos devem acalorar os debates nos próximos meses.

Em tempo... Na semana passada, a coluna elogiou a postura do Dr. Cristiano ao alertar a população sobre a lotação das UTIs no Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) e, sobre isso, nada muda. Mas, um inseto voador nos lembrou que no tempo em que era diretor do HNSC, pacientes ficavam acamados nos corredores. A memória as vezes falha, é normal. Mas, se não conseguiu agir tão rapidamente na época, com leitos ditos normais, como faria para abrir leitos de UTI? Ao que parece, UTIs são mais complexas. Fica a dúvida.

PL rachado

O Partido Liberal (PL), visto como o mais cobiçado pelos pré-candidatos à prefeitura, está rachado. Alguns dos filiados querem a chapa do atual prefeito, outros preferem apoiar Cristiano Ferreira (MDB). Com o adiamento das eleições, há tempo para uma avaliação criteriosa. O que não dá, nesse momento, é o PL perder a oportunidade de integrar uma chapa majoritária. Se assim for, perde a chance de fazer sua primeira eleição na Cidade Azul, além de perder espaço em 2022. Complicado.

Governo continua apanhando

O governo de Joares Ponticelli continua sendo massacrado na Câmara de Vereadores. Gelson Bento (PP) é empolgado, mas como líder de governo não apresenta uma defesa enérgica e técnica. A oposição está sincronizada. José Luiz Tancredo é o que mais se destaca. O parlamentar realmente lê os projetos, questiona e debate. Quase nunca é vencido numa discussão. Os nomes da base não fazem questão de defender a gestão, é nítido. Não há esforço algum para isso. Talvez não estejam dando a importância devida, mas o eleitor tem acompanhado as reuniões através da internet. Atenção. Na última segunda-feira, 13, por exemplo, ao menos 10 mil pessoas passaram pela transmissão. Teve até vereador que virou meme desestimulando “féqui Nilzi”.

Dizem por ai...

Que a mistura de saúde e eleição não vai terminar bem, será...

Que o PL e PSC estão conversando muito para eleição, será...

Que um cardiologista deu choque no coração do governo, será...

Que o PSL vai pro pleito, nem que seja de chapa pura, será...

Lucas Vieira
× Fale com o Infosul