Casan rejeita oficio e impede posse de interventor; prefeitura pode acionar a justiça

Foto: divulgação/PML

Diferente do que muitos imaginavam, a intervenção do Poder Executivo no comando da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento, a Casan, em Laguna, está indefinida. Embora o município tenha decretado a intervenção, o ofício informando a decisão foi rejeitado pelo gerente interino da companhia Diego Rodrigues, nesta quarta-feira, 15.

De acordo com uma matéria divulgada no site oficial da prefeitura de Laguna, Diego Rodrigues disse não reconhecer a legitimidade do decreto. Com a rejeição, a Procuradoria do Município tomará as medidas legais para o cumprimento da decisão.

No lugar de Diego, o município tenta empossar para o cargo de gerente, o engenheiro civil Carli Pereira do Carmo.

Segundo o prefeito Mauro Candemil "Precisamos tomar esta atitude drástica. A população clama por uma solução. Queremos que o serviço seja prestado de forma satisfatória, que as exigências ambientais sejam seguidas, assim como os prazos”, afirmou o chefe do executivo.