Com aprovação do CADE, Unisul e Grupo Ânima vão criar Conselho Administrativo

Foto: reprodução

Conforme o Portal Infosul adiantou – com exclusividade – o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), aprovou na última quinta-feira, 20, a parceria entre Unisul e o Grupo Ânima. Desta forma, se não houver qualquer pedido de impugnação da decisão até o dia 15 de março, a Ânima passará a administrar a Universidade do Sul de Santa Catarina juntamente com a Fundação Unisul. A informação foi confirmada pelo setor jurídico da instituição de Tubarão.

Desde o anúncio de parceria em novembro de 2019, Unisul e Ânima traçaram um Plano de Ações e Metas. A primeira fase, intitulado de ‘Pré-CADE’, tinha como objetivo diminuir as despesas da universidade. Assim, em duas oportunidades, foi aberto o Programa de Demissão Estimulada (PDE), onde os colaboradores puderam pedir dispensa sem perder qualquer benefício e garantindo outros.

A segunda fase do Plano de Ações e Metas deve passar a valer a partir do dia 13 de março, o ‘Pós-CADE’, quando o Grupo Ânima passará a administrar a universidade juntamente com a Fundação Unisul. Nesse momento, um Conselho Administrativo será criado. Tanto a Unisul quanto o Grupo Ânima vão indicar três integrantes para compor esse Conselho. Para que não haja ‘favorecimento’ para nenhuma das partes, será acrescido um sétimo integrante. Este será escolhido da seguinte maneira: o Grupo Ânima indicará três nomes (qualquer pessoa de interesse do grupo) e a Fundação Unisul vai apontar um deles para somar ao Conselho.

Embora a Transferência de Mantença tenha sido autorizada pelo CADE, por contrato, a Fundação Unisul ainda ficará responsável pelos custos e, consequentemente, reterá os ganhos da instituição neste ano de 2020.

Até agora, mais de R$ 130 milhões foram adiantados pelo Grupo Ânima à Fundação Unisul. Esse recurso foi fundamental para que a universidade conseguisse quitar débitos trabalhistas e também com fornecedores. No entanto, há muito o que pagar ainda. E neste ano de 2020, todo o ‘lucro’ conquistado pela universidade será destinado para essa finalidade.

O terceiro e último passo do Plano de Ações e Metas deve acontecer em janeiro de 2021, quando finalmente será assinado a Transferência de Mantença. Quando isso acontecer, o Grupo Ânima passará a deter o direito de utilizar e administrar o nome Unisul. Assim, a Fundação Unisul deixa de participar das decisões e, passa a ser, apenas, a locadora do espaço físico pelos próximos 20 anos. No sentido leigo e literal, em 2021 o Grupo Ânima passa a ser dono da marca Unisul.

Por essa razão, a Fundação Unisul deve ser renomeada, bem como a Unisul TV. Conforme o Vice-Reitor Lester Macantonio, uma conversa com o Grupo Ânima sobre uma possível parceria entre eles e a Unisul TV já teve início, mas o Grupo não demonstrou interesse.

A partir de 2021 a Fundação Unisul passa a ter apenas o Colégio Dehon e a Unisul TV. O Dehon é o mais rentável, enquanto a emissora de televisão não lucra. Sendo assim, se até essa data a Unisul TV não passar a ter ganhos, a extinção dela não está descartada.

Enquanto aos cursos de Comunicação Social que a Unisul oferece, a partir de 2021 uma parceria entre o Grupo Ânima e Fundação Unisul deve viabilizar que os alunos continuem utilizando o espaço da emissora de TV para aulas práticas, mas esse tipo de conversa ainda não foi iniciado.

Por fim, nesta quinta-feira, 27, os alunos da Unisul retornam às aulas e, poderão conferir várias mudanças na estrutura acadêmica. Mais de R$ 4 milhões foram investidos para o início do ano letivo na instituição. Desde a restauração dos prédios, da ampliação das salas de aulas, até a reestruturação da grade curricular.