Com inauguração no HNSC, Tubarão terá maior centro de referência em Medicina Nuclear da Amurel

Foto: Comunicação HNSC

Foi reinaugurado nesta terça-feira, dia 6 de outubro, o Serviço de Medicina Nuclear do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Tubarão. O ambiente exclusivo dispõe de novo aparelho para exames de cintilografia e um moderno equipamento de PET-CT, adquirido através do PRONON – Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica, do Ministério da Saúde, com a parceria de 12 empresas que aportaram recursos financeiros por meio da Lei de Incentivo Fiscal. Isso permite, inclusive, o acesso a esta tecnologia aos pacientes que precisarem deste exame pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Segundo o diretor executivo do HNSC, Fabio Tadeo Teixeira, este aporte das empresas para a aquisição do PET-CT foi de grande importância. O equipamento representou um upgrade no parque tecnológico do Sistema de Saúde do Hospital, que também promoveu reformulações no Serviço de Medicina Nuclear para recebê-lo. “Fizemos toda uma reforma na parte física e ainda adquirimos, com recursos próprios, um novo aparelho de cintilografia, mais moderno que o anteriormente utilizado e que também permitirá dobrar o número de exames no HNSC. Assim, oferecemos a comunidade um serviço completo e moderno tanto de diagnóstico como de tratamento do câncer”, explica o diretor.

Com a estrutura, o Hospital se torna o maior centro de referência em Medicina Nuclear na região da Amurel. O espaço contará ainda com uma suíte terapêutica para internação dos pacientes submetidos a terapia com radionuclídeos, uma droga radioativa que trata as células cancerígenas, praticamente não afetando as células sadias.

Segundo Sérgio Roberto Maes, gerente de Geração Térmica, Eólica e Solar da Engie Brasil, uma das empresas parceiras do projeto, é uma honra ter contribuído para a compra deste equipamento. “A Engie está instalada na região há mais de 50 anos e sabe sua responsabilidade. Na nossa cultura, o meio ambiente e a comunidade são fundamentais. Recebemos aqui o agradecimento, mas nós também queremos agradecer o Hospital e os profissionais da área de saúde, porque sem eles não teria sentido doar equipamentos. Reconhecemos a dedicação de cada um deles”, ressalta Sérgio.

Foto: Comunicação HNSC

Sobre o PET-CT

O exame PET-CT possui uma moderna técnica que, além de mostrar imagens da anatomia do corpo humano, avalia alterações metabólicas do organismo, contribuindo para o diagnóstico e tratamento de cânceres, doenças do coração e problemas neurológicos. Na área de cardiologia, por exemplo, ajuda a mensurar o dano sofrido pelo coração em caso de infarto, e na parte neurológica é utilizado para avaliar anomalias, como tumores e falhas na memória.

Segundo a médica oncologista e responsável técnica pela especialidade no HNSC, Dra. Aline de Souza Rosa, essa tecnologia consegue detectar a atividade dos tumores e sua possível disseminação. “Por meio dele, podemos também avaliar se os efeitos da quimioterapia ou da terapia utilizada estão surtindo resultados sobre a lesão tratada ou se ele teve uma recidiva”, explica a especialista.

Já o Dr. Aurélio Costa Filho, especialista em Medicina Nuclear, destaca que, apesar da alta tecnologia, o PET-CT é um exame bastante simples, em que o paciente recebe um pequena quantidade injetada de material radioativo marcada com a glicose e com esta única injeção se consegue obter as imagens do corpo todo. “Paralelo a este rastreamento, são obtidas imagens tomográficas que vão auxiliar na localização dos tumores que têm a expressão metabólica aumentada. Embora seja realizado com material radioativo, a quantidade injetada é muito pequena, possibilitando ao paciente estar liberado para o convívio social logo após o exame, sem nenhuma restrição”, afirma o médico.