Confeiteiro e amigos realizam entrega de balas, brinquedos e cestas básicas neste dia de natal, em Tubarão

Foto: divulgação

Foram dias de trabalho intenso até chegar no dia de hoje, 25 de dezembro. Nivaldo Nazário, 23 anos, e mais dois amigos se empenharam durante semanas para arrecadar a maior quantidade de doces, brinquedos e alimentos para distribuir neste dia de natal.

Nem o sol quente fez os amigos desistirem de realizar a ação. Com carros decorados, uma caixa de som no porta-malas e muita boa vontade, foram mais de 800 saquinhos de doces entregues nos bairros da Cidade Azul, além de brinquedos e cestas básicas.

De acordo com Nivaldo Nazário, esse tipo de atitude é uma oportunidade de ajudar o próximo. “Esse é o segundo ano que fazemos a ação. É gratificante poder ajudar e fazer o natal de várias crianças mais feliz”, conta.

Nivaldo atua como confeiteiro há cinco anos, mas sua formação acadêmica é hotelaria, onde nunca exerceu a profissão. “Cheguei a trabalhar num hotel, mas na cozinha. Desde os 14 anos eu amo trabalhar com doces. Certa vez eu trabalhava em uma empresa e percebi que os funcionários tinham vontade de comer um doce após o almoço, então comecei a enrolar brigadeiros e vender para eles. Pronto, ali eu vi que era realmente isso que eu queria”, revela.

Parte das arrecadações foram provenientes de uma campanha nas redes sociais. Quem doasse algum doce para a ação, concorreria a um combo com um chocotone, tatuagem e torta. O sorteio será amanhã, 26, pelo instagram.

“Cada sorriso é como se fosse um agradecimento. Fazer o bem sempre faz bem. Enquanto eu puder ajudar, farei. É claro que, com a ajuda de muita gente. Sozinho eu não conseguiria nada”, finaliza o jovem doceiro.

Voluntariado no Presídio Feminino de Tubarão

Há um ano, Nivaldo também promove aulas de confeitaria para as detentas do Presídio Feminino de Tubarão. A cada 15 dias, numa segunda-feira, pelo menos 20 mulheres tem a oportunidade de aprender uma profissão para seguir após o cumprimento da pena.

“Duas presas – agora em liberdade – aprenderam a confeitar lá dentro [do presídio] graças as aulas e, agora, estão tendo uma nova oportunidade trabalhando em padarias”, afirma, orgulhoso.

O presídio, no entanto, apenas abre o espaço para as aulas. Todo o material para o ensino teórico e prático é por conta de Nivaldo, que também consegue doações para viabilizar o projeto.

Àqueles que sentirem o desejo de cooperar para esse e outros trabalhos que o confeiteiro desenvolve, pode entrar em contato com ele através do Instagram: @nivaldodoces.

Projetos para 2020

Ele não para. Ajudar parece ser uma necessidade. Outros projetos estão em fase de planejamento. Conforme contou ao Portal Infosul, Nivaldo quer, em 2020, realizar oficinas de confeitaria em alguma escola pública do município e também no Abrigo dos Velhinhos.