Destaque da Seleção Brasileira, Raphinha passou pelo Imbituba em 2014

Foto: Lucas Figueiredo / CBF

Um dos nomes pouco conhecidos da última convocação da Seleção Brasileira para a disputa das Eliminatórias da Copa do Mundo é o do atacante Raphinha, camisa 10 do Leeds United, da Inglaterra. O jogador de 24 anos, que nunca atuou profissionalmente no Brasil, chamou a atenção do técnico Tite pelas suas atuações na Premier League. Contratado como um dos principais reforços da equipe de Leeds no retorno à elite do futebol inglês, Raphinha fez 31 jogos, marcou 6 gols e deu 9 assistências na temporada passada. Na atual, os bons números se mantém: 7 jogos e 3 gols marcados. O bom desempenho fez Raphinha ser lembrado por Tite pela segunda vez para defender a Seleção Brasileira. Em sua primeira convocação, em agosto, ele foi cortado após o veto dos clubes ingleses aos jogadores convocados por países da zona vermelha da pandemia da Covid-19.

Raphinha vem aproveitando a chance recebida na Seleção Brasileira. Foto: Lucas Figueiredo / CBF

O que muitos desconhecem é que Raphinha, antes de brilhar na Europa, teve passagem importante pelo Imbituba Futebol Clube — hoje Baruch Imbituba —, onde foi vice-campeão da Série B do Catarinense sub-20 em 2014. Gaúcho de Porto Alegre, Raphael Dias Belloli, o Raphinha após curta passagem pelo Audax (SP). Antes, ele havia sido recusado pela dupla Gre-Nal e havia rodado por clubes da várzea do futebol gaúcho. Raphinha chegou ao Imbituba por intermédio do ex-coordenador do clube, Henrique Keiti e do ex-presidente da Águia do Litoral, Roberto Rodrigues, o Robertinho. A passagem por Imbituba durou cerca de 6 meses.

Em 2014, o atacante Raphinha passou pela base do Imbituba durante seis meses. Fotos: Divulgação

Atual treinador do Imbituba, Jhonatas Reis fazia parte da comissão técnica do sub-20, comandada pelo técnico Geraldo Meira, quando Raphinha passou pelos juniores da equipe imbitubense. Jhonatas diz que Raphinha estava desacreditado da carreira em sua chegada ao clube, mas que a passagem pelo Imbituba abriu as portas para que o atacante brilhasse no Avaí e na Europa. "O Raphinha chegou ao Ninho da Águia através do coordenador do clube na época. Ele não queria mais jogar futebol quando retornou do Audax, mas aceitou o convite e chegou até Imbituba. Era um atleta com característica de velocidade, habilidoso e uma finalização muito precisa com a perna esquerda. Um atleta disciplinado com muita dedicação nos treinamentos. No Imbituba foi um dos nossos principais atletas e fez uma grande temporada em 2014, quando nos consagramos vice-campeões do Catarinense Série B Sub-20. Isso fez ele colher frutos, abriu as portas no Avaí, onde ele se destacou em 2015 e despertou interesse do futebol europeu", disse o ex-treinador do jogador da Seleção Brasileira.

Foto 1: Raphinha e o técnico Geraldo Meira, no Imbituba, em 2014. Foto 2: Jonathas Reis e Raphinha se reencontram em Inter de Lages x Avaí.

Raphinha chamou a atenção do Avaí em um jogo-treino disputado contra o Imbituba, em 2014. Na Ressacada, o atacante se destacou e logo chamou a atenção do futebol europeu. Após negociações com o Porto, foi negociado em definitivo para outro clube de Portugal, o Vitória de Guimarães. No clube da cidade de Guimarães, permaneceu por três temporadas, onde disputou 101 jogos. marcou 27 gols e deu 12 assistências. Depois, despertou o interesse do Sporting, que pagou 6.5 milhões de euros pela sua contratação. Na equipe de Lisboa, fez 41 jogos, marcou 9 gols e deu duas assistências e conquistou dois títulos (Taça da Liga e Taça de Portugal). Na janela de transferências do verão europeu de 2019, em setembro, foi negociado com o Rennes, da França, por 20 milhões de euros. Raphinha ficou uma temporada na França (36 jogos, 8 gols e 6 assistências) até ser negociado por 13 milhões de libras com o Leeds United, onde está a duas temporadas.

Raphinha é um dos principais nomes do Leeds United na Premier League. Foto: Ed Sykes / Reuters

Convocado pela Seleção Brasileira para os jogos contra Venezuela, Colômbia e Uruguai, Raphinha fez sua estreia no segundo tempo do jogo contra a seleção venezuelana, em Caracas, Em 45 minutos, ele duas assistências e ajudou a equipe a vencer a partida por 3 a 1. No empate sem gols contra os colombianos, em Barranquilla, atuou apenas 29 minutos, tempo suficiente para criar as melhores chances de gol do Brasil na partida. Para o duelo contra os uruguaios, na quinta-feira (14), em Manaus, Raphinha pode ser uma das novidades na equipe titular. Na atividade comandada por Tite na Arena da Amazônia, nesta terça-feira (12), o jogador foi testado entre os 11 que iniciarão a partida.