Em casa, Tubarão perde para Avaí por 2 a 0 e complica situação no catarinense

Foto: Clube Atlético Tubarão

A noite desta segunda-feira, 2, gerava muitas expectativas. Expectativas não muito boas. Como vão se comportar os jogadores que estão com salários atrasados? O clima não era dos melhores, mas mesmo assim todos entraram em campo e deram seu melhor. A partida realizada no Estádio Domingos Silveira Gonzales, apesar de segunda-feira, teve bom público: 2.216 torcedores compareceram e apoiaram a equipe. No entanto, não foi suficiente para bater o leão da ilha. O apito final apontou no placar Tubarão 0 x 2 Avaí.

Já no primeiro tempo de jogo o Avaí carimbou sua vitória, aos 17 minutos já estava 2 a 0. Aos 12 minutos Rildo abriu o placar após lindo passe de Valdivia e aos 17, Kelvin dribla três na área de defesa do peixe, a bola sobra para Jonathan que amplia. O Tubarão até tenta, principalmente com bolas paradas: entre 25 e 32 minutos foram três chances de bola parada, no entanto não é suficiente para descontar o placar. Na segunda etapa a equipe azurra administrou o placar. Destaque para o goleiro Lucas Frigeri que fez grandes defesas. Fim de jogo: Tubarão 0 x 2 Avaí.

O próximo jogo do Tubarão está marcado para dia 8 de março contra o Marcílio Dias, próximo domingo, às 16 horas, em Itajaí.

Salários atrasados

Informações disseminadas sobre possível pagamento de 75% dos atrasados dos jogadores não procedem, alguns atletas desmentiram. A situação continua crítica principalmente para os mais experientes. Diretores do clube justificam, nos bastidores, que o Tubarão tem muito a receber. Como, por exemplo, Chapecoense (que deve em torno de um milhão), Avaí (em torno de R$ 150 mil reais), Ceará também deve valores. A dívida do Tubarão estaria estimada em R$ 2 milhões de reais. O valor a ser recebido é estimado em R$ 3 milhões. Inclusive o Grupo Baltoro, empresa que gere a K2 Soccer, estaria desde dezembro sem repassar valores ao clube. Federação deve cota de TV, valores que parcelou em até 5 vezes. Não esquecendo dos valores bloqueados pelo Ministério Publico referentes ao empasse com a União. O custo total do Clube hoje seria de R$ 600 mil reais mensais. Esse valor já chegou a um milhão de reais, após cortes conseguiu-se reduzir. A folha de pagamentos dos atletas é de R$ 90 mil, da comissão técnica R$ 50 mil reais.

Em coletiva, Pingo destaca que os resultados negativos não são por causa dos atrasos de salário. “Alguns se abatem, é claro, imagina vocês ficarem três meses sem receber? Mas eu garanto que isso não é e não será desculpa para justificar os números negativos no campeonato, vamos lutar até o fim”, relata o treinador. Ainda complementa que esses casos devem ser sanados com a Diretoria. Posição louvável do treinador. E enquanto isso, representantes do clube permanecem em silencio, inclusive com seus colaboradores. A pergunta é, até quando vai a paciência daqueles que sofrem a consequência de um financeiro mal administrado?

O campeonato

Com a vitória o Avai garantiu vaga antecipada nas quartas de final do Campeonato Catarinense. O leão da ilha chega terceira posição, com 13 pontos. Já o peixe foi para penúltima posição, com cinco pontos, um a mais que a Chapecoense. Os dois últimos colocados do Catarinense disputam um mata-mata par definir o único time rebaixado.

Atlético Tubarão 0 x 2 Avaí

Tubarão: Lee; Bartell, Carlos Alexandre, Vinícius Kuerten e Kevin (Natan); Eduardo Meurer, Davi Lopes, Edinho e Eliomar (Matheus Mazia); Rayan eZé Vitor (Robertinho). Técn. Pingo

Avaí: Lucas Frigeri; Lourenço, Zé Marcos, Betão e Capa; Jean Martim, Wesley, Valdívia (Adryan); Rildo, Kelvin (Pedro Castro) e Jonathan (Gastón Rodrigues). Técn. Rodrigo Santana

Gols: Rildo e Jonathan (Avaí)

Cartões amarelos: Davi Lopes e Vinícius Kuerten (Tubarão); Lucas Frigeri, Zé Marcos, Capa, Jean Martim e Kelvin (Avaí)