Família necessita de ajuda financeira para manter tratamentos de saúde de criança

Foto: Kalita da Rosa

A pequena Jhully Eduardo Corrêa tem apenas um ano e cinco meses de idade, mas desde que nasceu luta pela vida. Diagnosticada com uma série de patologias, a menina necessita de acompanhamento multiprofissional. Entretanto, os custos dos diversos tratamentos são altos.

As fisioterapias, por exemplo, custam um valor médio de R$ 640 mensais. Já um pacote com 30 mangueiras para a bomba de infusão, chega a R$ 972. Jhully precisa de uma mangueira por dia. Somados aos exames e medicamentos que não são ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), a família não tem condições de custear tudo.

Os pais de Jhully não possuem emprego formal. A mãe, Kalita da Rosa, por se dedicar em tempo integral a menina, não consegue trabalhar. O pai, Yuri Borges, está desempregado, mas faz serviços como servente de pedreiro para ajudar nas despesas.

Atualmente, o município de Morro da Fumaça, ajuda com frascos de anticonvulsivantes e ambulância para fazer a locomoção da criança, visto que a família não possui carro. O Estado, ajuda com 15 latas de formula indicada de 400g cada, que é equivalente a R$ 3.750,00 por mês. A Assistência Social também colabora com uma cesta básica a cada 30 dias.

Com a pandemia do novo coronavírus, todos os 12 médicos que acompanham o caso de Jhully não estão atendendo nos ambulatórios dos hospitais – SUS. Com isso, os pais precisam pagar consultas particulares para manter a assistência.

Desta forma, através das redes sociais, a família está pedindo a solidariedade de todos. Segundo a mãe Kalita, “não importa o valor, toda quantia é bem-vinda”. Ela se propõe também a prestar contas de todos os custos com a filha. Os telefones para contato são: (48) 9 9922-3185 ou (48) 9 9142-9515. Aos que desejarem contribuir de forma online, além de compartilhar a informação, também pode ajudar com qualquer valor aqui.

Conheça algumas das patologias de Jhully

Hidrossiringomielia; tumores no Sistema Nervoso Central; crises; hemangiomas paravertebral; tumores intracardíacos; linfedema de membros inferiores; manchas hipocrômicas em pele; ectasia de aorta abdominal; cistos renais à direita; desnutrição; alergia à proteína de leite de vaca; e anemia.

Veja os remédios que o Sistema Único de Saúde não oferece

Morfina;
Combiron;
Vitaminas D;
Propranolol;
PEG 4000;
Label.