Governador afirma em coletiva que aguarda proposta do CREF para liberação de atividades esportivas

Foto: divulgação

O movimento para que atividades esportivas sejam liberadas principalmente em academias está cada vez mais forte. A Organização Mundial da Saúde recomenda que 150 minutos semanais de atividade física leve ou moderada (cerca de 20 minutos por dia) além de manter ou ajudar na perda de peso, reduz risco de hipertensão, doenças cardíacas, acidente vascular cerebral, diabetes, câncer de mama e de cólon, depressão e principalmente para o momento: fortalece o sistema imunológico (informações retiradas do saude.gov.br). Visto isso, fechar academias até 31 de maio conforme decreto estadual, parece incoerente e por isso, o Conselho Regional de Educação Física de Santa Catarina – CREF - solicita adequações nas restrições.

Em coletiva realizada nesta quarta-feira, 15, o governador Carlos Moisés, foi questionado mais uma vez sobre a decisão. Segundo Moisés, o sentimento de que atividade física é essencial para imunização é compartilhado, contudo é preciso pensar no risco eminente de contágio.

“Os resultados da prática de atividade física obviamente são muito bons para sociedade, mas é preciso pensar no risco eminente do contágio. Esta semana o governo participou de uma reunião com o CREF e estamos guardando uma proposta do setor para que a secretaria de saúde possa avaliar e viabilizar a prática de atividade física em estabelecimentos de forma responsável para que não tenha disseminação do vírus em auto escala”, afirmou o governador.

Ele ainda cita que o governo não tem condições no momento de colocar em prática medidas que garantem a fiscalização e a segurança no retorno das academias. “É preciso, por exemplo, saber como compartilhar os equipamentos e todo resto com segurança”, finalizou.

O presidente do Conselho Regional de Educação Física, Irineu Wolney Furtado, afirma que propostas já haviam sido encaminhadas desde o segundo decreto de isolamento social. De todo modo, fica feliz que existe um diálogo entre o governo e o conselho e a partir disso, estão reelaborando propostas e documentos juntamente com a vigilância sanitária e o grupo de operações de enfrentamento de crise do Estado para que as academias sejam reabertas.

“Entendemos que alguns dias de parada foram necessários para entendimento da pandemia, mas é preciso agora repensar e tomar decisões com justiça. Os profissionais de educação física em sua maioria têm em seu estabelecimento o sustento da família”, citou Irineu.

Ele ainda destaca, mais uma vez, a importância da atividade física. “Sabemos que uma grande parte da população é acometida por várias doenças e ficar em casa sem praticar atividade física nenhuma vai piorar as comorbidades”, finalizou.

O documento deve ser entregue em breve para análise do Governo do Estado.

Sugestões do CREF

O Portal Infosul teve acesso a uma das propostas elaboradas, e entre várias precauções destaca-se:
- o atendimento de até 50% do público por hora/aula tanto em locais fechados quanto abertos;
- exigência de higienização com álcool gel 70% ou água e sabão;
- manter a distância de 1,5m dos atendentes e colegas;
- evitar exercícios que sejam necessários colocar as mãos diretamente no solo;
- bebedouros interditados;
- para aulas que utilizam piscinas manter a dosagem de hipoclorito da piscina no mínimo 1 ppm para aumentar a higienização e reduzir possibilidades de contágio;
- dentre outros.