Imbituba: Hospital São Camilo aguarda SCPAR Porto de Imbituba para montar UTI

Foto: reprodução

A instalação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital São Camilo (HSC), em Imbituba, é um anseio antigo. Diversas reuniões entre diretoria, gestão municipal e Estado já foram realizadas ao longo de anos. No entanto, o assunto voltou a ser discutido em março, quando a diretoria da instituição de saúde solicitou a SCPAR Porto de Imbituba – através de ofício – uma ajuda para aquisição de equipamentos permanentes hospitalares e materiais de EPIs. Desta forma, seria possível montar ao menos 10 leitos de UTI na unidade.

O pedido, segundo Luciene Meuer, Diretora do HSC, foi feito no dia 23 de março, três dias após o primeiro caso de coronavírus ser confirmado na cidade praiana. A autorização para utilizar receita portuária para atender à solicitação, foi proferida pelo Ministério de Infraestrutura, através do Secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Diogo Poloni e Silva, no dia 03 de abril. No entanto, até o momento, o Porto de Imbituba não efetuou qualquer repasse à unidade.

Ao Portal Infosul, Luciene Meuer disse que o valor solicitado está entre R$ 2,5 e R$ 3 milhões, pois depende do retorno das cotações do Porto. O montante seria o suficiente para a compra de 10 monitores cardíacos com capnografia, 10 aspiradores de secreções, 10 oxímetros de mesa, 10 ventiladores pulmonares, 01 aparelho de gasometria e 01 Raio-X portáril; além de materiais de uso contínuo como, máscaras N95 ou PFF2, máscaras, aventais, tocas, protetores de face, luvas descartáveis, propés descartáveis e álcool em gel.

A demora na aquisição dos equipamentos gerou insatisfação em um dos vereadores do município; Gilberto Pereira (PR), que protocolou um requerimento junto ao Ministério Público (MPSC) afim de que o órgão determine o livre acesso – online – ao Processo Licitatório do Ministério da Infraestrutura; que seja decretado também o afastamento dos funcionários que por ventura estejam sendo investigados por corrupção; além de que seja bloqueado o valor de R$ 2,5 milhões dos cofres da SCPAR Porto de Imbituba como garantia de cumprimento da decisão.

O Infosul entrou em contato com a assessoria de imprensa da SCPAR que tão logo respondeu que “O processo encontra-se, atualmente, em fase interna de procedimentos licitatórios (Justificativa, Termo de Referência, Orçamentação, Pareceres Jurídicos etc.). A doação [dos insumos] somente se dará após a conclusão do regular processo licitatório e devido recebimento dos materiais, bem como posterior entrega dos bens via Termo de Doação ao HSC.”.