Jaguaruna: direção do Hospital de Caridade pede reunião urgente, mas prefeito não responde; profissionais continuam sem receber

Foto: reprodução

Os colaboradores do Hospital de Caridade de Jaguaruna (HJC) estão desde quarta-feira, 08, esperando pelo pagamento do salário referente ao mês de dezembro. São 52 funcionários no setor de enfermagem, administrativo e operacional, e mais 10 médicos no corpo clínico.

A crise no HCJ se arrasta há tempos, mas se agravou nos meses de novembro e dezembro do ano passado, quando os funcionários decidiram paralisar suas atividades. Durante a greve só foram realizados atendimentos de urgência e emergência.

Ao Portal Infosul, Claiton Galicioli, diretor do HCJ, explicou como funciona o contrato entre a instituição e a prefeitura. “Nós temos um contrato de R$ 160 mil mensais com a prefeitura, que é destinado para pagar os funcionários, médicos e também é usado para aquisição de materiais e medicamentos. Esse valor é dividido em três parcelas. Sempre nos dias 10, 20 e 30 de cada mês a prefeitura deve pagar R$ 53.300,00”, explica.

No entanto, desde o mês de novembro o município não realiza nenhum repasse ao IDEAS, empresa que administra o hospital. O valor dos atrasos ultrapassa os R$ 370 mil. Em dezembro, por exemplo, o pagamento dos débitos só foi possível graças a uma emenda parlamentar.

A direção do hospital vem tentando uma reunião com o prefeito Edenilson Montini da Costa desde terça-feira, 07, mas até o fechamento desta reportagem, ele não respondeu à solicitação.

O chefe do executivo do município de Jaguaruna também não respondeu a reportagem do Portal.

Na próxima segunda-feira, 13, o Sindicato da Saúde de Tubarão e Região deve se reunir com os funcionários do HCJ para decidirem os próximos passos. Por enquanto os atendimentos seguem normalmente.