Manifestantes bloqueiam parte de rodovia no bairro São Martinho

infosul
Foto: Pedro Garcia

Nem a chuva impediu que os moradores do bairro São Martinho, em Tubarão, realizassem a manifestação marcada para a tarde desta terça-feira, 04, nas proximidades do novo viaduto construído na rodovia Ivane Fretta Moreira.

A comunidade da ‘Sapolândia’ está sem transporte público coletivo há algum tempo. Antes, as linhas que vinham de Gravatal sentido Tubarão conseguiam operar na comunidade, mas agora, o acesso está proibido. Desta forma, a população que necessita utilizar o transporte público precisa ir para o outro lado da rodovia, ficando em eminente risco.

Em determinado momento durante a manifestação, uma representante de bairro pediu que o Governo Estadual tomasse providências quanto aos pleitos. “Nós queremos que o governador [Carlos Moisés] tome providencias logo; que dê acesso para nossa comunidade; que coloquem sinalizações, rótula”, afirmou.

Durante todo o protesto, parte da rodovia ficou bloqueada. A Guarda Municipal fez a segurança dos manifestantes.

Reunião discute situação do bairro

Mais cedo, no Paço Municipal, representantes da Secretaria de Urbanismo, Mobilidade e Planejamento da Cidade Azul estiveram reunidos com membros da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade para tratar justamente a situação da rodovia Ivane Fretta.

Segundo repassado ao Infosul, algumas alternativas emergenciais foram levantadas para serem executadas a curto prazo. Entre as opções estão a instalação de sinalização vertical e também uma rotatória para permitir o acesso de veículos na comunidade.

Após a reunião os representantes do Estado foram até o local para averiguar a situação.

Posição do Município

Embora as alterações na localidade prejudiquem diretamente os moradores do bairro São Martinho, em Tubarão, o município nada pode fazer. Por se tratar de uma rodovia estadual, é ilegal que o departamento de urbanismo/transito municipal realize qualquer tipo de alteração na via.

Segundo o Secretário de Urbanismo da cidade, Nilton de Campos, um ofício relatando esses problemas fora encaminhado à Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade do Estado ainda no ano passado. “Enviamos um ofício no dia 21 de novembro para a secretaria, mas eles não deram resposta. Soubemos apenas – por terceiros – que eles iriam responder, e mais nada”, disse em entrevista ao Infosul na semana passada.

Essa reunião aconteceu no iníncio da tarde desta terça-feira, 04, conforme registrado acima.

 

× Fale com o Infosul