Marcele Bressane: Como aguentar mais um ano de pandemia?

Marcele Bressane
Marcele Bressane
Foto: reprodução

2021 já está no seu quarto mês e o que todos sonhavam: uma Páscoa tranquila, sem COVID, sem máscara, não aconteceu. Muito pelo contrário, olhamos as notícias e os casos estão aumentando, tivemos o pior mês em relação a mortes no Brasil. Milhares de famílias passaram a Páscoa em luto pela morte de algum familiar que foi perdido em decorrência da pandemia. E a vacina, que é a única saída, vem a conta gotas. Vem devagar, ou pelo menos, não vem na velocidade que tanto desejávamos. Estamos cansados, exaustos e desanimados em relação a mais um ano. Carnaval, Natal, tantos feriados se passaram. E mais um acaba de passar. Como aguentar a pressão de mais um ano de pandemia?

Primeiramente, vamos ter que aguentar, não tem muita saída. Não tem férias de pandemia, não tem respiro e depois volta. Temos um ano pela frente com toda certeza. E precisamos viver na realidade que é isso que vamos ter pela frente, e depende de cada um de nós saber como irá se manter nesta quarentena. Os cuidados todos sabem de cor: ficar em casa, uso de máscara e álcool em gel. Todos já entenderam. (será?) sei que é imensamente cansativo tudo isso. Eu vivo diariamente a vontade de fazer algo, mas acredito no que preciso fazer, acredito na ciência e isso me mantem firme em continuar em casa, mesmo tendo vários momentos de tédio. Acredito no bem da sociedade, assim uso máscara para salvar as pessoas que amo e as pessoas que nem conheço. Acredito que minhas mãos podem fazer carinho, dar amor e afeto, mas também podem infectar muita gente, até a mim, então mesmo com a mão já ressecada de tanto álcool, continuo passando. A primeira dica que dou para aguentar, é acreditar que estás fazendo o correto, acreditar que se é o necessário, e devemos fazer. Acreditar que países que fizeram isto, estão melhores.

Mas também, suma um pouco. Não de férias, como falei antes, não tem como. Mas suma do COVID. Veja séries, se divirta com seu cachorro, leia algo que não seja de pandemia. E se deixe pirar, xingue, berre, tenha crise de ansiedades, de pânicos. Mas após, respire, foi mais uma crise de estresse e não se ache a pior pessoa do mundo. Todos estão vivendo a sua crise existencial nesta pandemia. Todos se encontraram e se reencontraram com seus piores medos nesta quarentena. Às vezes, surtar não é pecado nenhum! Mas com máscara e distanciamento social, por favor.

E claro, acredite num futuro melhor. Se não acreditarmos, ai não dá. Me lembro no começo que todos falavam que ia ser bom a quarentena, que o ser humano ia aprender a ter empatia pelos animais e pela humanidade. Acreditávamos que nossos governantes iriam honrar nossos votos. Eu ainda acredito. Acredito que pelo menos os meus estão fazendo isso. Que eu estou me tornando melhor e estou cobrando mais dos governantes.

Mais um ano. Mas, por favor, menos mortes. Mais casa, menos aglomero. Mais esperança. Mais futuros. É o que eu desejo para todos nós!

Marcele Bressane
× Fale com o Infosul