Marcele Bressane: Promoções de dor de cabeça

Foto: reprodução

Promoções de dor de cabeça

Uma das coisas que mais une brasileiros é uma boa promoção. Quem nunca viu aqueles vídeos de pessoas correndo em lojas atrás dos melhores preços? Ou comparando valores e se vangloriando porque comprou algo muito mais barato que a vizinha. Ou se você comprou algo barato e alguém elogia, a primeira coisa que você fala é o preço e como foi baratinho. Até esquece da blusa e do elogio, só pensamos no preço. Brasileiro ama promoção! Ama pagar barato.

Sexta passada foi um dos dias mais esperados do ano para muitas pessoas. A famosa Black Friday! Onde todas as lojas se organizaram e fizeram promoções excelentes, que enchem os olhos de todos. E pós este fartão de promoções, já começamos a pensar nas próximas compras: o Natal. Quais serão os presentes, onde comprar, como fazer. Compreendemos que amamos promoções e comprar, né? Mas vamos ser sinceros, odiamos boletos e muitos de nós estamos abarrotados de dívidas, mas mesmo assim, continuamos procurando promoções e promoções.

Este ano mostrou, para muitos de nós, que dinheiro é escasso e quanto falta, é muito dolorido. Sim, dói de verdade. Dói no bolso, no peito e faz a nossa saúde mental desaparecer. Ficamos angustiados quando vai chegando o dia 10 e não temos o dinheiro para pagar a última promoção que achamos. Dá falta de ar e a famosa ansiedade aparece. A dor de cabeça é a melhor amiga do boleto atrasado. Mas mesmo assim, continuamos gastando. E isso ocorre porque nosso cérebro adora nos enganar, ele procura prazer em todos os momentos e se comprar dá prazer, ele vai atrás sem pensar em mais nada. Igual uma criança que faz bico quando os pais não querem dar um presente. Nosso cérebro esquece de tudo, das contas, dos atrasados, e só pensa na satisfação momentânea que aquela compra oferece, ou seja, uma criança.

Agora, você precisa começar a entender que quem manda no seu cérebro é você! Isso mesmo, VOCÊ. E que precisamos lembra-lo de tudo que já passamos com contas atrasadas. E que não precisamos parar de sentir o prazer de compras, mas sim, podemos ter o prazer de compras, mas sem dor de cabeça. E isso dá? Claro, que dá. Só precisamos diminuir a impulsividade da compra e organizar.

Então, vamos para as dicas básicas: Primeiro, nunca saia de casa para comprar algo sem uma lista e não compre algo que não esteja nessa lista. Segundo, se não consegues se controlar, não ande com seu cartão de crédito (eles são inimigos, muitas vezes!). Terceiro, faça uma conta de quantas horas você trabalha para conquistar aquela compra que você tanto quer e perceba se vale meeeesmo a pena.

Comprem e sejam felizes, mas saibam que podemos ter saúde mental também nessas promoções. Boas compras conscientes!