Marcele Bressane: Relação com o nosso corpo

Foto: reprodução

Sempre escrevo a coluna logo após de chegar em casa da academia, tomar meu whey, comer muito e me olhar no espelho para ver se fez alguma diferença a academia de hoje. Sou uma mulher magra, que sempre teve dificuldade em aceitar seu corpo, assim, sou refém de dieta e exercício físico. Seria lindo falar que faço academia por saúde, mas não é, faço inteiramente por estética. E ao pensar em tudo isso, constato que a maioria das minhas amigas também são assim. Ontem mesmo, sai com uma amiga maravilhosa, o corpo dela é perfeito para minha visão e ela não o aceita e está fazendo dieta e exercícios físicos diários para chegar em um corpo que não é nosso. Um corpo que eternamente terá que ser moldado. É difícil!

As pressões estéticas são muito duras e para todos. Para os homens, mulheres. Ninguém sai ileso dessas pressões e do corpo ideal, que é 1% da população que tem. É incrível como os outros 99% das pessoas são infelizes com seus corpos.

E você? Quero que pare um minuto e se olhe. Você gosta do seu corpo? Se não, por que? Quem disse que ele não está bom? Se é você mesmo, de onde vem essa ideia? Muitas vezes nem sabemos de onde, só sabemos que não gostamos e ponto final. O Brasil é o campeão em número de cirurgias plásticas. Nada contra quem faz, mas o que isso significa? Como será que os brasileiros veem seus corpos?

Gostar do seu físico tem muita relação com a autoestima e como nos enxergamos, pois é o nosso cartão de visita, a primeira coisa que as pessoas veem ao nos olharem. Então se nós não gostarmos desse cartão, consequentemente acabamos não indo em alguns locais, ou nos escondendo, para assim não sermos observados.

Vou contar para vocês o que faço diariamente para aceitar melhor meu corpo. Não tenho uma poção mágica, como falei ali em cima, ainda sou refém de várias coisas. Mas aprendi que é um processo. Tanto de academia, quanto de dieta. Não caia em soluções fáceis, “se você comer isso, em dois dias perderá tantos”. Não! Ou mesmo, com exercícios, não desista no primeiro mês porque não viu resultados. Eles veem, mas infelizmente (e digo de verdade) eles demoram, e muito.

Mas tirando estes dois pontos essenciais para gostar do nosso corpo e sentir que estamos fazendo algo, também precisamos organizar e mudar a chavezinha do nosso cérebro que diz que nosso corpo sempre está pior que o da vizinha. Então, primeiro, pare de seguir em redes sociais corpos maravilhosos e sim, siga pessoas que te fazem bem e te motivem. Todo dia elogie alguma parte do seu corpo, mesmo que seja a pontinha do pé, mas aprenda a achar parte do seu corpo que você ame. Esteja ao lado de pessoas que te valorizem e te coloquem para cima, e após um elogio, o aceite e agradeça.

Meu amor, seu cartão de visita é maravilhoso, só precisamos percebe-lo.

Participe do grupo de WhatsApp do Portal Infosul e fique sempre atualizado do que acontece na região: https://chat.whatsapp.com/EhO3X1Z07wbEQ28ZrgkXvs