MEC divulga resultado do IDEB; Tubarão cresce dois pontos nas séries finais

Foto: reprodução

O Ministério da Educação (MEC) divulgou na última terça-feira, dia 15, os dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) 2019 e do Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB) 2019.

Em outubro do ano passado, alunos do 5º e 9º anos, de 14 escolas municipais de educação básica (EMEB) de Tubarão realizaram a prova de alcance nacional, aplicada a cada dois anos para medir a proficiência em Matemática e Língua Portuguesa dos estudantes brasileiros.

Nas séries iniciais, o IDEB nacional 2019 atingiu a média de 5,9. Tubarão obteve 5,8. Já nas séries finais do Ensino Fundamental, o município cresceu no IDEB 2019. Nestes anos, o IDEB 2015 foi 4,9, caiu para 4,6, em 2017 e subiu para 4,8, em 2019. “Crescemos dois pontos, nas séries finais, cujo índice vinha caindo e onde o Brasil tem mais dificuldades para crescer”, analisa a diretora-presidente da Fundação Municipal de Educação, Adriana Mariano Rosa. O índice nacional 2019, nestas séries, foi 4,9.

A Rede Municipal de Tubarão optou, em 2019, por priorizar o aprendizado dos alunos em vez de apenas a estatística. Manteve a média 7 e os quatro bimestres, significando que o aluno precisa de 28 pontos para ser aprovado em vez de 18; aplicou o instituído na BNCC, por meio da qual a alfabetização deve ocorrer até o segundo ano do Ensino Fundamental e não mais no terceiro ano. “Dessa forma, os alunos podem reprovar em todas as séries, a partir do segundo ano”, salienta a diretora-presidente.

Adriana acredita, no entanto, que melhores resultados serão percebidos na próxima prova, que será aplicada em 2021. “Como o projeto ‘Sucesso na Escola, Na Vida e No Trabalho’, iniciou na Rede Municipal de Ensino de Tubarão, em março de 2019, e a Prova Brasil foi aplicada em outubro do mesmo ano, temos a convicção que no IDEB2021, a Rede municipal de Tubarão estará acima da média nacional”, explica. No entanto, o que melhor afere o aprendizado dos alunos é o resultado da Prova Brasil, que será publicado em breve.

Como o IDEB é calculado

Melhoria no IDEB não significa, necessariamente, melhoria na aprendizagem, como explicam a “Nota Técnica” do Ministério da Educação e medidas adotadas por alguns governos, que inflaram artificialmente os resultados: “Como o IDEB é resultado do produto entre o desempenho e o rendimento escolar (ou o inverso do tempo médio de conclusão de uma série), pode ser interpretado da seguinte maneira: para a escola “A” cuja média padronizada da prova Brasil é 5,0, e o tempo médio de conclusão de cada série são 2 anos, a escola terá o IDEB igual a 5,0 multiplicado por ½, ou seja, IDEB = 2,5. Já uma escola “B” com média padronizada da prova Brasil igual a 5,0 e tempo médio para conclusão igual a 1 ano, terá IDEB = 5”. Ou seja, quanto maior a reprovação dos alunos, menor o índice do IDEB. E o que fazem muitos governos? Extinguiram as reprovações em algumas séries, mesmo quando os alunos nada aprendem e, nas demais séries, diminuíram as medias para aprovação dos alunos. Significa que o IDEB pode ser bom, mas aprendizagem nem tanto.