Mortes de tartarugas preocupam pesquisadores na região

Foto: Reprodução

Entre 22 de setembro e 5 de outubro, quatro tartarugas-gigantes (tartarugas-de-couro) encalharam sem vida em praias de Laguna e Jaguaruna. Nesta terça-feira, 15, mais uma tartaruga da espécie foi encontrada morta na praia do Gi, em Laguna. Esse tipo de tartaruga é considerado vulnerável à extinção e, por isso, tem deixado os pesquisadores da região preocupados.

Segundo dados divulgados pelo Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) e Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), apenas três mortes dessas tartarugas haviam sido registradas em quatro anos de monitoramento.

As primeiras tartarugas encontradas mortas na região já estavam em estado avançado de decomposição, o que pode prejudicar a identificação da causa da morte. Mesmo assim foram enviados para análise as amostras das partes mais bem preservadas dos animais.

Essa espécie vive usualmente na zona oceânica durante a maior parte da vida. A única área regular de desova conhecida no Brasil situa-se no litoral norte do Espírito Santo. Elas podem atingir até 178cm de comprimento curvilíneo de carapaça e podem pesar até 400kg.