Mulher acidentada na SC-370 está na UTI em decorrência de problema não diagnosticado durante primeiro atendimento

Foto: reprodução

A mulher de 33 anos que sofreu um acidente na SC-370 na última segunda-feira, 09, está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) desde o fim da tarde de ontem, quarta-feira, 08, quando enfim, foi diagnosticada com perfuração grave no pulmão. Para quem não lembra, a vítima foi atingida por uma carreta desgovernada quando seguia para o trabalho a pé.

O Portal Infosul conversou com o marido da vítima – que prefere não se identificar – e de acordo com ele, ainda no dia do acidente sua esposa foi atendida pelo HNSC e foi constato através de Raio-X que ela havia fraturado duas costelas. Além disso, ela também levou seis pontos na cabeça em decorrência de um corte profundo ocasionado no momento da queda.

Segundo ele, também durante o primeiro atendimento, foi realizado Raio-X na região do joelho, bacia e tórax. No entanto, nenhum exame de tomografia foi solicitado pelo médico em questão e, antes das 17h foi liberada (teve alta) pelo mesmo. Ela deu entrada no pronto atendimento perto das 13h.

Já em casa, na terça-feira, 10, ainda com muitas dores, o marido se viu obrigado a procurar ajuda médica para a esposa. Foi até a Unidade Básica de Saúde (UBS) do Pouso Alto, em Gravatal, bairro que residem, e solicitou atendimento domiciliar à unidade. Prontamente a médica do posto atendeu ao pedido e foi até a casa da paciente. Lá, a profissional intensificou a dose dos remédios receitados anteriormente e deixou um encaminhamento de atendimento, caso as dores continuassem.

Mais tarde, já durante a noite, a vítima ainda com muitas dores, foi pressionada pelo companheiro a ir até o hospital para receber atendimento, no entanto, ela se negou. No outro dia, ainda pela manhã, quarta-feira, 11, o marido levou a esposa até o hospital e exigiu que fossem realizados exames de tomografia na região da cabeça, coluna cervical e Raio-X no tórax.

O médico da emergência prontamente atendeu à solicitação. Analisando o Raio-X do tórax, o profissional da saúde verificou alterações e, então, encaminhou a paciente para atendimento emergencial. Neste momento, a informação que o marido tinha era que a esposa iria realizar uma tomografia na área em questão; porém, quando o especialista chamou a paciente pelo nome foi para interna-la na UTI.

Acontece que o quadro da paciente já era delicado. Ela havia perfurado o pulmão e devido à falta de diagnostico imediato, estava com muito liquido – sangue – no pulmão. Desta forma, foi necessário fazer uma drenagem no órgão.

Ainda de acordo com informações do esposo, a paciente permanece internada na UTI e o quadro dela é estável. Desde a constatação do quadro, outras duas tomografias já foram realizadas: uma no tórax e outra no pescoço. Uma cirurgia não é descartada.

Uma reclamação ao hospital foi formalizada pela família. O Portal tentou contato com o HNSC, mas até o fechamento desta reportagem não obteve resposta.