Município faz apelo e pede consciência da população nesse momento de quarentena

Foto: reprodução

O departamento de comunicação da prefeitura de Tubarão fez uma publicação bastante diferente nesta terça-feira, 21. O extenso desabafo dos profissionais do setor destacou dezenas de ações que foram e que estão sendo tomadas diante da pandemia do novo coronavírus, além de ressaltar o apelo dos profissionais da saúde para que a população obedeça a quarentena.

Confira o depoimento na íntegra:

Denúncias? Fiscalização? Temos bastante. Consciência para cumprir as medidas, nem tanto

Mais um dia de quarentena em Tubarão e, ainda, muito descuido por parte da população. A força-tarefa que fiscaliza a quarentena, desde a última quinta-feira (16), já recebeu mais de 500 denúncias e, juntamente com as atuações de rotina, realizou mais de 600 abordagens. A grande maioria empresas que ignoram o decreto e insistem em abrir, todas orientadas, algumas devidamente multadas, algumas fechadas pela fiscalização. Mas, tem também muita gente sem máscara e se aglomerando em locais públicos ou privados.

Na mídia tradicional, nas redes sociais, nos grupos de whatsapp muitas são as informações, os apelos, os depoimentos de especialistas, de profissionais da saúde, das autoridades. Todos repetem o conselho: é preciso manter o distanciamento social! Não tem outra solução, não há remédio eficaz, não há vacina. A única ação efetiva para frear a contaminação é o isolamento.

O prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli, gravou mais um vídeo (acesse abaixo) apelando à população que cumpra o decreto. Joares tem dito que esperava que as medidas fossem acolhidas e cumpridas de forma mais tranquila, até pela sua inevitabilidade. “Não imaginávamos tantos jeitinhos, tantas tentativas de transgressão. Não imaginávamos ter que multar tanto, para que o óbvio seja entendido. Eu sei, são medidas duras, não são simpáticas, mas é o possível para o momento. Os especialistas dizem isso, a justiça diz isso, quem está na linha de frente diz isso. São medidas em prol da vida e precisam ser cumpridas”, apela o prefeito.

Médicos, enfermeiros, servidores da área da saúde, seja pública ou privada, estão indo para as redes sociais e fazendo apelos também. Todos trabalhando muito mais do que o normal, cansados, estressados, no limite, mas firmes no propósito de salvar vidas. Eles só pedem uma coisa: fiquem em casa!

Ao poder público municipal cabe promover o primeiro atendimento ao cidadão, quando há qualquer sintoma de Covid-19. Para isso, nos últimos 140 dias, todos os esforços foram envidados. Tudo o que foi possível fazer foi feito. Adaptação de todas as Unidades Básicas de Saúde para atendimento perto da casa do cidadão; criação do primeiro Centro de Triagem da doença no Sul; manutenção de setor específico de atendimento na Policlínica; criação do COEMS, que atende e acompanha os casos suspeitos (mais de 10 mil já foram atendidos); ampliação de horários e contratação de profissionais; testagem da população para identificar o nível do contágio.

Essas ações pararam o vírus? Não. Nem poderiam. O que para o contágio é o isolamento social. 

Porém, essas ações quanto custaram? E o dinheiro que “veio de cima”? E a transparência? Está tudo lá, no portal da prefeitura de Tubarão. Valor por valor. Nota por nota. Tudo com CNPJ, com valores, com datas, com descrição. Mas, isso também não parou o vírus.

Dos dois hospitais que têm UTI em Tubarão - Nossa Senhora da Conceição e Socimed - o Conceição atende pelo SUS. Hoje, para atender os 360 mil habitantes dos municípios da Amurel, só temos UTI nessas duas instituições. Há 17 leitos SUS, entre adulto e pediátrico, para pacientes Covid-19, todos ocupados.

Pacientes SUS que chegam ao hospital são encaminhados para UTIs em outros hospitais, de outras cidades catarinenses. Mais sete leitos SUS são esperados. O hospital já pediu ao estado, que pediu ao governo federal. Devem chegar em breve. Dizem. Os leitos particulares, prontos para atender Covid-19, são mais 20 nos dois hospitais. Todos quase 100% ocupados também.

O município de Tubarão pretende credenciar leitos para uso de tubaronenses. Venceu os trâmites legais, abriu credenciamento, contudo, por enquanto, nenhum hospital se inscreveu.

O tão falado colapso do sistema de saúde chegou bem perto de nós. Ninguém esperou de braços cruzados isso ocorrer. Houve planejamento, mesmo que para algo totalmente inusitado, houve movimentação, houve quarentena lá no início, comandada pelo estado, houve investimento no atendimento, houve e continua havendo muito trabalho dos profissionais de saúde, houve briga por mais estrutura, nem todas atendidas ainda, porém, os números, esses só aumentaram. São 1,3 mil infectados na nossa cidade, quase 900 já curados, porém 16 foram a óbito. Não tem vacina, não tem remédio eficaz, não tem milagre. Só uma coisa funcionou, da China a Inglaterra, dos Estados Unidos ao Japão: o isolamento. Esse isolamento que muitos teimam em não cumprir.

Essa matéria é do departamento de Comunicação da prefeitura de Tubarão, escrita de forma um pouquinho diferente hoje. Aqui a gente também não parou, nem um dia. Muito pelo contrário, avançamos por algumas noites e alguns finais de semana. Nossa missão diária aqui é atender os gestores municipais e buscar, formatar e apresentar aos veículos de comunicação e aos cidadãos, os fatos, o que o governo fez, o que o governo tem a dizer. Vivemos tentando bem comunicar, colocando a verdade acima de tudo. Só sobre a pandemia do novo coronavírus produzimos mais de 500 matérias, notas e informes. Não fazemos mais do que a obrigação, alguém vai dizer. É fato. Mas, nesse momento, seria bem melhor se os nossos queridos consumidores de informação compreendessem, que é para ficar em isolamento. Estamos pedindo também. De novo.