Política: a panela tá fervendo em Tubarão

Foto: reprodução

Candidatos precisam apresentar propostas viáveis

Sabe quando a panela tá cheia d’água, fervendo, mas sem alimento? Assim anda a política. São vários os pré-candidatos, mas propostas mesmo são poucas. Somado a isso, as esferas governamentais resolveram encabeçar uma crise política. No âmbito federal, os poderes não falam a mesma língua. No Estadual, um possível impeachment começa a assombrar o Palácio Barriga Verde. Pedidos protocolados não faltam. Já em Tubarão, volto ao que disse no início: muita água pra pouca comida. Não é raro – a essa altura do campeonato, ainda cedo – ver pré-candidato atacando adversários nas redes sociais. Política barata. Baixa. Velha. Uma coisa é certa: o eleitor está atento. Diferente do que aconteceu na eleição presidencial, serão mais rigorosos na hora do voto.  Pelo menos, espero. Acredito que o eleitor tenha cansado de promessas; ele quer propostas viáveis, que gerem resultados. Não apenas um discurso inflado para agradar os ouvidos alheios. E nesse jogo, se assim for, vence quem tiver capacidade. No mais, são apenas candidatos que tentam provocar incêndio com fogo na palha.

O noivado terminou

Estava quase certo, mas o romance chegou ao fim. A aliança, que muitos acreditavam ser a única capaz de competir diretamente com o atual governo, terminou por ego. Pelo que se diz, Luciano Meneses, nome do PSL, queria ser o cabeça da aliança, enquanto Cristiano Ferreira, do MDB, não curtiu a ideia de ser vice. O rompimento já era previsto desde a semana passada, entretanto, foi na última sexta-feira, 08, que o MDBista tornou público seu desinteresse – com duras críticas – em compor uma chapa com o candidato do PSL na Cidade Azul. A manifestação até hoje repercute na cidade. Uns concordando, outros repudiando e outros ainda avaliando. O fato é que, “palavras lançadas ao vento, são como penas soltas, você nunca mais consegue recolher todas”.

A noiva da vez

Com o fim do namoro do MDB com PSL, surge no cenário eleitoral novas possibilidades. A coluna, claro, vai arriscar palpites. O PL deve ser o favorito para o papel de noiva da vez, e pode puxar nomes interessantes: João Fernandes, Licão e também o Soratinho. A noiva de número dois é o PSC. No casting, Jó Kruger. PSDB cem como terceira opção, tendo Marcos Brunato frente a sigla. O PT vira a noiva número quatro, com alguns nomes cotados. PDT a número cinco, com o Mexicano, e, por fim, temos o PODE, que em nosso ranking, tem a vaga de número seis no baralho de noivas; com o DuCesar sendo o nome.

Daisson Trevisol

Ele já era respeitado, mas tem tido reconhecimento – não por menos – ímpar nos últimos meses. O secretário, se tornou um dos principais nomes da gestão atual. O incansável trabalho frente a Fundação Municipal de Saúde é respeitadíssimo entre os profissionais da saúde. Além da clareza nas informações, o profissional age com ética e coerência dentro de sua função. Com a imprensa, sempre atendeu com respeito, profissionalismo e igualdade. Seja – ou não – em razão da pandemia do novo coronavírus, o fato é que Daisson abriu mão de se lançar candidato neste ano e permanece firme e forte comandando a pasta da saúde. Certamente, e o eleitor há de se lembrar, que o secretário será um nome forte nos próximos pleitos.

Tancredo X Pepe

Na última semana uma queda de braço forte aconteceu entre o vereador José Luiz Tancredo e o Superintendente da AGR, começando pela manifestação na tribuna pelo vereador Tancredo, replicada numa rádio local e comentada por um radialista sem prévio conhecimento do assunto e atropelado no ar pelo ex-vereador Pepê Collaço. Foi forte. Há pedido de gravações. O assunto rendeu na última sessão, 11, e deve render nos próximos dias. Dizem que os dois não se entendem desde a presidência de Pepê na Câmara. Vamos acompanhar os próximos capítulos. A novela promete excelentes capítulos.

Deputados? Cadê Vocês?!!

Em Tubarão, essa pergunta é repetida por muitos já faz algum tempo. Os deputados estaduais Volnei Weber (MDB) e Felipe Estevão (PSL), eleitos representantes da Amurel, e consequentemente da Cidade Azul, ainda não mostraram para que vieram quanto a investimentos por aqui. Vemos deputados de diversas regiões passando na cidade e deixando alguma coisa, algum recurso, alguma obra. Mas os nossos, entraram na quarentena, e, de lá, pelo jeito, não saíram mais. Acordem. Daqui a pouco vem outra eleição e vocês vão precisar de votos por aqui. Nossa cidade honrou vocês, honrem-nos também. Independentemente de partido, façam pelo povo, tragam recurso para o povo.

Dizem por ai...

Que tem um cidadão jogando pedras em políticos de todas as esferas nas redes sociais, mas, comenta-se que o dito cujo tem um ‘telhadão’ de vidro, e a hora que uma pedra dessa voltar, vai ser feio, será...

Que se a eleição for mesmo adiada para 2022, vai ter muito pré-candidato virando Assistente Social, será...

Que se as contas dos partidos fecharem mesmo e cada partido eleger de dois a três vereadores, no próximo mandato teremos pelo menos uns 30 vereadores eleitos, será...

Que devido a janela partidária, muitos partidos não conseguiram mais fazer rodízio pros suplentes, será...

Que mesmo na pandemia, vem mais obras na cidade azul, será...