Política: siglas partidárias devem entrar na justiça por vagas na Câmara de Tubarão

Foto: reprodução

Reeleição esmagadora
O prefeito Joares Ponticelli (PP) e o vice Caio Tokarski (PSD), esmagaram os opositores com uma vitória nunca antes vista na cidade. O percentual de votos válidos para a dupla – 67,29% – é mais que o dobro da soma dos quatro candidatos adversários. Marcos Brunato (PSDB), Diego Goulart (PSL) e José Fontoura (PT), reconheceram o resultado das urnas e felicitaram o prefeito reeleito. Os ataques sofridos durante a campanha foram respondidos com um resultado avassalador, sem mentiras, sem baixarias, sem ofensas. O respeito, o trabalho e a integridade venceram. Parabéns, Joares e Caio!

É preciso reavaliar
MDB e PT precisam – urgentemente – reavaliar suas conduções políticas na cidade. O MDB se viu em ruínas nos últimos meses. Foram tantas as polêmicas que o resultado veio nas urnas. A bancada no legislativo diminuiu de três para apenas um parlamentar. Na chapa majoritária, o pior desempenho da história do partido na cidade. Já o PT, além de ter um candidato a prefeito com desempenho pífio, menor do que a de alguns candidatos ao legislativo, não elegeu nenhum vereador. A representatividade do partido na câmara que já era baixa, será nenhuma.

PSL, PSDB e PSC perderam, mas ganharam
Ambos os partidos tiveram um péssimo desempenho eleitoral para seus candidatos a prefeito, mas diferentemente do PT, conseguiram eleger ao menos um candidato a vereador. O PSL garantiu duas cadeiras; o PSDB uma; e o PSC conquistou a última vaga.

Resultado no legislativo pode mudar
Com a redução de 17 para 15 cadeiras, há três partidos estudando a possibilidade de ingressarem na justiça pedindo que essa alteração seja revista e tenha validade somente em 2024. Segundo as siglas, tal alteração foi realizada no período das convenções, o que comprometeria o processo eleitoral para os partidos. Se isso ocorrer, haverá quem ganhará uma cadeira e quem perderá. Vamos ver, se os partidos têm jurídico para isso.

Ranking de votos perdidos
Embora tenha sido uma eleição atípica, muitos dos favoritos à reeleição se perderam no caminho. Para se ter uma noção, Dalton Marcon (MDB), Socadinho (MDB), Licão (PL) e Alexandre Moraes (PSD), lideram o ranking da perda de votos. Comparado ao pleito de 2016, ambos perderam mais da metade dos votos. Observe:

Dizem por aí...
Que de dois a três vereadores da base irão para a gestão, será...
Que a temporada de denúncia contra alguns eleitos vai começar, será...
Que 30% dos tubaronenses não foram votar, porque não acreditam mais na política, será...
Que tem deputado que fez ‘vidiozinho’ com seu candidato e pegou a barca junto, será...