Política: redução de vereadores de 17 para 15 ou 13, passa ou repassa?

Foto: reprodução

Há tempos o vereador João Fernandes, hoje no PL, defende a redução do número de vereadores de 17 para 15, em Tubarão. A luta do parlamentar, diga-se, iniciou em 2011. Nos últimos dias o nobre vem usando suas redes sociais e também o seu espaço na Casa Legislativa, para reafirmar sua proposta. Com muito trabalho, Fernandes conseguiu juntar as seis assinaturas necessárias para que a proposta tramite no parlamento. Alguns edis defendem a redução para 13 vereadores, e outros são ainda mais radicais e sugerem retornar o tempo que a Câmara era ocupada por apenas dez representantes “do povo”.  O assunto sempre ‘dá pano pra manga’. Quando for apresentado, o edil vai precisar de 12 votos favoráveis para a proposta ser aprovada, e assim conseguir realizar o sonho da redução. Particularmente, acredito na boa vontade de Fernandes e reconheço seu empenho, mas se já foi uma luta conseguir seis assinaturas, quem dirá 12 votos. Acho que até ele sabe disso. Tem peixe grande ali dentro que não sabe nadar fora do aquário. Mas como dizem: a esperança é a última que morre. O apoio popular será fundamental. Vamos aguardar!

Se Essa Rua Fosse Minha

Lançado em 2017, o programa 'Se Essa Rua Fosse Minha', que prevê a pavimentação e melhorias de vias públicas por meio de uma parceria com a comunidade, onde a prefeitura providencia os materiais e os moradores ficam responsáveis pela contratação dos serviços de execução da obra, teve a inscrição de mais de 90 ruas. Ocorre que a atual gestão vai caminhando para sua reta final e nem a metade dessas ruas foram feitas ou iniciadas. No meio político, comenta-se que o ex-secretário Nilton de Campos, conduziu muito mal todo o processo, onde há movimentos inclusive na Câmara Municipal, querendo auditar o programa, para que seja entendido os critérios de execução das obras, se foram técnicos ou políticos, visto que o ex-secretário é pré-candidato a vereador. O assunto deve render nas próximas semanas.

Pré-campanha online

Com essas medidas de restrições de reuniões, contatos e visitas, é necessário que a pré-campanha seja redesenhada, ou muitos pré-candidatos ficarão fora do jogo.

Postura responsável

A postura do prefeito Joares Ponticelli e do vice Caio Tokarski em doar uma porcentagem dos seus salários, manter colaboradores (comissionados, ACTs, terceirizados e estagiários), enfrentando opiniões contrárias e até prejudiciais para sua imagem eleitoral, mostra que antes de pré-candidatos, são gestores responsáveis, pois muitos desses colaboradores põem o sustento em seu lar. E na prática, preservando os empregos, preservam a injeção de dinheiro em nossa economia, mantendo vivo nosso comércio local, sendo a Prefeitura uma das maiores empregadoras da cidade. Tal gesto também fortalece o discurso da preservação de empregos junto aos empresários da cidade. Obviamente, que seria muito mais fácil, usar a pandemia como justificativa e fazer demissões em massa, mas a responsabilidade econômica e social vem primeiro.

Pré-candidatura Crescendo

Umas das pré-candidaturas a prefeitura municipal que vem crescendo pontualmente na cidade azul, é a do empresário Luciano Menezes (PSL), que fortaleceu muito sua nominata de pré-candidatos a vereadores nas últimas semanas de janela partidária, onde, se de fato, liderar uma chapa majoritária, deverá eleger de dois a três vereadores. Luciano ainda é bem visto no meio empresarial e social.

PL começa a se posicionar

Os vereadores João Fernandes e Dorli Fernandes, o Licão, ambos do Partido Liberal (PL), na última sessão, não acompanharam a base de governo em votação nos projetos, abstendo-se. Vai ficando visível que os liberais começam a distanciar-se da base para possivelmente se consolidar como partido forte e independente na cidade azul. Importantíssimo lembrar que o partido tem a liderança do Senador Jorginho Mello, que possui total simpatia do Presidente Jair Bolsonaro.

Dizem por ai...

Que tem pré-candidato a vereador prometendo até a cura para o coronavírus...

Que nos bastidores da câmara municipal a coisa já anda fervendo...

Que tem igreja que tem mais candidatos do que eleitores...

Que vai dar mais gente processada na cidade por fakenews do que o número de candidatos....

Que quando falta proposta o negócio é atacar mesmo...