Política: ‘República de Tubarão’; deputados ingratos

Colagem: reprodução

Tubarão foi duramente e injustamente atacada nesses últimos dias

Os deputados regionais são uma vergonha para Tubarão. Embora não sejam frutos da Cidade Azul, parte dos votos conquistados em 2018 saíram daqui. Volnei Weber (MDB) e Felipe Estevão (PSL) conquistaram 5.266 e 8.365 votos respectivamente na “República de Tubarão”. Além de não terem trazido nada relevante para a cidade, não foram capazes de ao menos defender nosso município dos ataques de outros representantes. Estão sendo dias difíceis para nossa gente. Nenhuma palavra, repúdio, ou consideração. Nada. É assim que os nobres agradecem aos eleitores de Tubarão, com o silêncio. Deputados, nosso povo preferiu vocês. Valorizem.

Cidadania se desalinhando?!

Cidadania, um dos partidos mais sólidos na cidade de Tubarão e com grande potencial para dobrar a sua bancada nessa eleição municipal, caso não se atentar poderá ter problemas internos e externos. Isso mesmo. Tem gente que não tá dançando a mesma música do experiente maestro Flávio Alves.

Evandro Almeida entrou no jogo

Não sabemos ainda se Evandro Almeida continua filiado ao MDB, mas temos certeza de que seu candidato nestas eleições será Joares Ponticelli para prefeito e Caio Tokarski para vice. Evandro tem se movimentado muito em favor dos dois e buscado todo apoio possível escancaradamente. Ele não esconde a mágoa com lideranças MDBistas. Aliás, desde o resultado das eleições de 2018 já anda um pouco afastado do partido. Vale lembrar que o experiente político sempre foi visto como um afilhado político de Edinho Bez. Será que pediu a benção e foi-se?!

Lucas Esmeraldino | Parte 1

Aparentemente, chega ao fim o ciclo 17 na vida de Lucas Esmeraldino. Quando vereador, em Tubarão, o ‘dentista do bem’ renunciou seu mandato para não ser cassado. Lembram? Em 2018, viajou o estado levantando a bandeira PSL: fundou o partido, ajudou a eleger governador e vice e deu um empurrão nos deputados eleitos pela sigla. Entretanto, sua prancha era pequena demais para a onda PSLista e não se elegeu a nada. Há quem diga que por erro de estratégia. Parece ter crescido os olhos. O fato é que a vaga no senado ficou para uma próxima. Agora, enfrenta ataques e mais ataques. Se é verdade ou não, só a justiça pode dizer.

Lucas Esmeraldino | Parte 2

Logo que a reportagem do ND+ foi divulgada, claro, todos os veículos de imprensa foram atrás de Lucas. Inclusive o Infosul. Com a gente, o então secretário da SDE conversou por aproximadamente 15 minutos – via chamada de áudio no WhatsApp – dias após a matéria. Prometeu enviar uma nota respondendo aos questionamentos da reportagem. Até agora nada. Mas isso é o de menos. Vergonhoso foi ele ter feito uma tour nas rádios da cidade – se defendendo das acusações – e, nesta terça-feira, 26, deixar a pasta. Foi uma surpresa para Lucas? Ele diz que está 200% com Moisés. Oras, não entendo. A saída da pasta foi ou não planejada? Se sim, estranho não ter falado nada em sua tour. Se não, o comandante tá querendo esconder o ex-PSL? Muitas perguntas, nenhuma resposta. Coitado do Diego! Que retorne para Tubarão, mas não vá às escolas.

Lucas Esmeraldino | Parte 3

Agora que vai ser um articulador político, o que segundo diz, sempre gostou de fazer, os Catarinenses esperam que Lucas seja sensato em suas articulações. Quando falou com o Infosul, disse que era 200% Bolsonaro e 200% Moisés. Entretanto, Bolsonaro e seus filhinhos mimados já atacaram o governador de Santa Catarina diversas vezes. O romance entre eles não é dos melhores. Moisés rompeu com Bolsonaro cedo. Lucas nega. Diz que é intriga da oposição. A vice parece não concordar. Enfim, mais de ano frente a uma pasta importante no Estado, vamos torcer que o ‘dentista do bem’ não choque os ovos para o Bolsonaro, entregando informações para o Governo Federal, diga-se Presidente da República. Não precisamos de mais embates. Temos o suficiente. Acredito que numa praia agitada, a onda Bolsonaro será mais eficaz que a Moisés.

Chapa Proporcional MDBista vem forte

Cristiano Ferreira, que já possui uma pré-candidatura consolidada à Prefeitura Municipal da Cidade Azul, também não está deixando por menos sua chapa proporcional. Após a janela partidária, o partido sobreviveu e, aparentemente, até bem. Numa ponta da nominata, nomes como os atuais vereadores Dalton, Tancredo e Socadinho lideram a chapa. Logo, ainda tem Joel, Heitor, Maduro, Rancho e mais nomes que a sigla ainda preserva. Com 17 vagas, os “manda brasa” devem manter as três cadeiras na casa. Se a Emenda de redução para 15 vereadores passar, o partido aumentaria consideravelmente a possibilidade de voltar a ocupar quatro cadeiras, pois as eventuais vagas de sobra, a legenda seria uma das primeira a abocanhar, mas com 17, poderão terão dificuldades.

E a Eleição? Adia! Mantém! Adia! Mantém

O assunto começou a ganhar corpo na capital brasileira, mas consenso que é bom, nada. Exatamente isso, nada. Sabe-se que toda e qualquer decisão depende exclusivamente do Congresso. E, o que sentimos no Congresso hoje é um mar de dúvidas. Uns querem em novembro, outros em dezembro, outros só em 2022, outros que se flexibilize por Estado, e outros querem que se mantenha. O fato é que mudar de hoje para amanhã, de nada adianta. Pois o foco da mudança, seria por alguns objetivos: prevenção da pandemia, unificação das eleições, uso do fundo eleitoral na pandemia, e a geração de economia com o custos das eleições. Vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos.

Dizem por ai...

Que tem vereador da esquerda, que após três anos, lembrou que era da oposição e  acordou, será...
Que em Tubarão quase todo mundo é candidato do Bolsonaro, será...
Que o vale tudo e salve-se quem puder está apenas começando, será...
Que tem partido em Tubarão, que vai de chapa pura e pura mesmo, será ...
Que as articulações nos bastidores para coligações não param, será...