Rede de pesca mata mais uma toninha na região

Foto: PMP-BS

Segundo informações do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), a toninha – Pontoporia blainvillei – encontrada morta na última quarta-feira, 04, entre as praias de Itapirubá e Vila, em Imbituba, teve morte por afogamento.

O animal foi encaminhado para a Unidade de Estabilização de Fauna Marinha da Udesc, onde foi realizada a necropsia. Tratava-se de um macho de quase 21 quilos, com mais de um metro de cumprimento.

No rosto (bico) e nas nadadeiras dele, haviam marcas de rede de pesca. O que, evidentemente, teria ocasionado o afogamento. Ainda de acordo com a análise dos profissionais, as marcas externas no corpo da toninha “Sugere um emalhe em rede de corvina, que são redes de pesca de fundo com características de malha em monofilamento de 10 centímetros entre nós opostos”.

Esse tipo de rede pode variar em tamanho, podendo ter entre 600 a 3700 metros de cumprimento e 1 a 7 metros de altura, podendo levar até 24 horas para imersão completa. Os pescadores que utilizam esse tipo de emalhe, normalmente, deixam imergindo durante um dia e fazem a retirada no outro.

Esse é o quinto caso de óbito de toninhas registrado pela equipe da Udesc, em 2020.