Remédios para tratamento precoce da Covid-19 estão em falta

Foto: reprodução

Dois dos três medicamentos disponibilizados pela Prefeitura de Tubarão aos pacientes com sintomas de Covid-19 e que tenham receituário médico, estão em falta: a Ivermectina e Azitromicina.

De acordo com o diretor-presidente da Fundação de Saúde de Tubarão, Daisson Trevisol, está muito difícil arranjar estes medicamentos. “As empresas não têm mais em estoque, e estão demorando muito para entregar. A Azitromicina, nós conseguimos algumas para mais um semana, até que a empresa responsável reponha o estoque. Já a Ivermectina, foi solicitada, mas está em falta até nas farmácias”, esclarece.

A alta procura pelos medicamentos esgotou o estoque da Farmácia Básica. Em tempos normais, a quantidade era suficiente para suprir a demanda por três meses, mas o estoque ficou vazio em apenas um.

Mesmo sem eficácia comprovada cientificamente, a Comissão de Farmácia e Terapêutica da Cidade Azul optou pela implantação do protocolo que autoriza os médicos indicar o tratamento a pacientes diagnosticados com a Covid-19 precocemente. Mesmo assim, o tratamento só tem início com o aceite do enfermo ou responsável.

Os medicamentos

Ivermectina: remédio antiparasitário; os efeitos colaterais estão associados a quadros gástricos;

Azitromicina: faz parte do grupo dos antibióticos e tem efeito antibacteriano; comumente indicado em casos de sinusite, inflamações, pneumonia, entre outros;

Cloroquina: usada para o tratamento de lúpus, malária e artrite reumatoide.

Informações: Elsie Cademartori/Hiper FM