Tancredo deve ir ao Ministério Público após não ter requerimento atendido

Foto: reprodução

Em um requerimento apresentado pelo vereador José Luiz Tancredo (PSDB) na última segunda-feira, 02, na Câmara de Vereadores de Tubarão, o parlamentar questionou a Secretaria de Urbanismo, Mobilidade e Planejamento da cidade sobre a realização de um laudo técnico detalhado sobre as condições estruturais da ponte sobre o Rio Corrêa, na rua Silvio Búrigo, no Monte Castelo.

A ponte está interditada desde junho do ano passado, quando a Defesa Civil do município observou problemas em uma das cabeceiras. Após um Auto de Constatação elaborado por engenheiros civis da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil e secretarias de Urbanismo, Mobilidade e Planejamento e Infraestrutura, foi decidido pela demolição da estrutura.

Na tribuna, Tancredo disse ter solicitado esse laudo técnico detalhado em junho de 2019, mas o que teria recebido como resposta foi um Auto de Constatação, realizado na modalidade empírica, ou seja, “através de mera observação”. Diante da insatisfação com o parecer do Poder Executivo, o edil disse que irá recorrer ao Ministério Público.

O Portal Infosul procurou o Secretário de Urbanismo, Mobilidade e Planejamento da cidade de Tubarão, Nilton de Campos, que afirmou A ponte já foi interditada pela Defesa Civil e é decisão do governo – fazer ou não – outra ponte. Essa ponte já apresentava problemas há tempos. Não se tem projeto dela, não se sabe como ela foi feita, e, ela realmente está cedendo. Mas independente disso, ela já estava no radar para ser trocada”, disse.

“Fazer uma restauração nela fica mais caro do que se você for fazer uma nova. Essa ponte a gente já sabia que tinha que ser feita mais cedo ou mais tarde, nós só não imaginávamos que seria agora”, afirmou o secretário.

Auto de Constatação

Encaminhado à Câmara em 27 de junho de 2019 – dez dias após a apresentação do primeiro requerimento – o Auto de Constatação (nº 065/2019) está assinado por três Engenheiros Civis da Prefeitura de Tubarão: Richard Rodrigues Alexandre, Guilherme Daufenback e Murilo Damian Ribeiro.

De acordo com o documento, a primeira vistoria in loco ocorreu no dia 09/06/2019 e a segunda, no dia 11/06/2019. Empiricamente, foi constatado o desnivelamento na cabeceira sentido Monte Castelo > BR-101. Em tese, a anomalia teria ocorrido devido ao movimento da fundação do pilar locado próximo a cabeceira supracitada.

Outro fator apontado no Auto foi o evento meteorológico de 24/05/2019, quando a cidade sofreu com uma chuva intensa, que pode ter prejudicado a estrutura já delicada.

Com risco de colapso, a Defesa Civil determinou a interdição da estrutura. Em um dos trechos, está escrito “Foi identificado risco à vida dos que trafegam embarcados pelo local”.