Um ano após primeiro óbito, Tubarão passa de 300 mortes por coronavírus

infosul
Foto: reprodução

Em 7 de abril de 2020 Tubarão registrava a primeira morte causada pela Covid-19. Na madrugada daquela terça-feira, o cantor e compositor Deison Freitas, de 34 anos, perdia a batalha contra a doença, ainda no inicio da pandemia na região. Ele ficou internado por 18 dias na UTI do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC). Deison não possuía comorbidades.

Exatamente um ano depois, a Cidade Azul supera a marca de 300 vidas perdidas por complicações do novo coronavírus. Nesta quarta-feira, 7, a Fundação Municipal de Saúde registrou mais sete óbitos. As vitimas foram cinco homens, de 44, 59, 75, 78 e 81 anos, e duas mulheres, de 64 e 78 anos de idade. Com isso, o município soma 306 mortes causadas pela Covid-19.

Tubarão tem 19.222 casos confirmados de coronavírus desde o início da pandemia. Desses, 18.430 já se recuperaram. Atualmente, 486 tubaronenses estão com o vírus ativo e em tratamento. 53 deles estão hospitalizados, sendo 20 em UTIs e 33 em enfermarias.

× Fale com o Infosul